Mais de 22 mil motoristas podem ser multados no início do primeiro free flow e em fevereiro inicia no Caí e Capela

Primeiro pedágio com cobrança automática completou um mês em Antônio Prado (foto) e no próximo mês começa a cobrança nos novos no Vale do Caí - Crédito: Daniel Herrera/CSG

O primeiro free flow do Rio Grande do Sul, localizado no km 108,3 da ERS-122, em Antônio Prado, na Serra, completou um mês de funcionamento em 15 de janeiro. É o mesmo sistema de pedágio automático, sem cancelas, que a partir de fevereiro começará a funcionar em São Sebastião do Caí (km 4,6 da RS-122) e em Capela de Santana (km 30,1 da RS-240), além de em três outros locais como Carlos Barbosa (km 6,5 da RS-446), Farroupilha (km 45,5 da RS-122) e Ipê (km 151,9 da RS-122). Os equipamentos já estão instalados e passando por fase de testes e ajustes. E os valores das tarifas devem ser definidos ainda neste mês de janeiro.

Em um mês, aproximadamente 22,4 mil motoristas não pagaram a tarifa no free flow de Antônio Prado, o que representa cerca de 12% do total de 187 mil veículos registrados pelo pórtico automático e que estão sujeitos a multa de R$ 195,23, além de cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Os proprietários dos veículos têm até 15 dias da passagem pelo pórtico para fazer o pagamento. Para a concessionária Caminhos da Serra Gaúcha (CSG), responsável pelas rodovias de instalação dos novos pedágios, o índice de não pagamento foi inferior a previsão inicial, que era em torno de 30%. E acredita que o número de inadimplentes vai cair gradualmente com os motoristas se habituando ao novo sistema.

Completou um mês o funcionamento do primeiro pedágio de free flow em Antônio Prado
– Crédito: Daniel Herrera/CSG

Um dos pontos positivos citados pela CSG é de que 46% dos motoristas teriam utilizando o tag de pagamento automático, através de adesivo eletrônico colado no para-brisas, que é considerado o meio mais adequado para quitar a tarifa. Dos motoristas que optaram pelo pagamento por meio do aplicativo “CSG FreeFlow” ou pelo site da concessionária, 38% quitaram via Pix e 10% inseriram créditos antecipados. Apenas 3% pagaram com cartão de crédito e 2,66% usaram os totens disponíveis nas bases de atendimento para o pagamento. O cartão do vale-pedágio foi utilizado por 0,34% dos clientes. A maioria dos motoristas (57%) efetuou o pagamento no dia da passagem pelo pórtico.

O percentual de inadimplência – que ficou em cerca de 12% – foi considerado abaixo da estimativa no início de operação. A CSG acredita que este índice ainda deverá cair na medida em que os usuários adquiram mais conhecimento sobre a praticidade e vantagens do novo modelo. “Todas as expectativas foram superadas. A aceitação da tecnologia está sendo muito boa. A inadimplência é muito menor do que esperávamos na arrancada da operação. O sistema se mostrou muito simples para o nosso cliente. Temos 32,5 mil CPFs e 43 mil veículos cadastrados, o que demonstra o interesse dos motoristas nos descontos oferecidos pela plataforma, bem como a preocupação em fazer o devido pagamento da tarifa de pedágio”, avalia o diretor-presidente da CSG, Ricardo Peres.

Equipamentos já estão instalados na RS-122 no Caí e na RS-240 em Capela de Santana

Novos pedágios

O executivo confirma que em fevereiro entrarão em operação os demais cinco pórticos do free flow. Eles estão sendo instalados na ERS-122, nos km 4,6 (São Sebastião do Caí), km 45,5 (Farroupilha) e km 151,9 (Ipê), no km 30,1 da ERS-240 (Capela de Santana) e no km 6,5 da ERS-446 (Carlos Barbosa). A data de início da operação e o valor das tarifas estão sendo analisados e serão definidos pela Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do Rio Grande do Sul (Agergs).

“Teremos atendimento presencial nas demais bases de atendimento ao cliente e incremento de pessoal de escritório para dar conta do maior número de transações e informações que serão demandadas. As pessoas com maior dificuldade no uso da tecnologia procuram atendimento da CSG para apoio a instalação do aplicativo e até mesmo para realizar os pagamentos. As nossas bases de atendimento ao cliente e o telefone 0800.122.0240 receberam muitas ligações e consultas neste primeiro mês. Entretanto, notamos que nas últimas semanas já há uma redução desta demanda, o que mostra que os nossos clientes estão se adaptando à nova tecnologia”, acredita Peres.

Valor das tarifas

O valor das tarifas para carros, motos, ônibus e caminhões ainda será definido pela AGERGS. No Caí, que tem pista duplicada, deve ser mantida a tarifa de Portão, que atualmente está em R$ 11,90 para automóveis, mas terá mais a atualização com base na inflação acumulada desde fevereiro de 2023. E ao contrário de Portão, a cobrança será nos dois sentidos, sendo oferecida isenção para veículos dos bairros Areião, São Martim e Conceição que estejam cadastrados. Já em Capela de Santana, perto da divisa com Montenegro, que tem pista simples, a tarifa hoje seria de R$ 7,19, mas terá mais a atualização da inflação e com base desde janeiro de 2020. Moradores de Capela de Santana ainda lutam por isenção.

Uso de tag é o mais indicado   

Para a CSG, a boa aceitação e as vantagens oferecidas com o uso da tag faz com que seja a forma mais prática de pagamento do free flow. Empresas como Sem Parar, ConectCar, Veloe, Move Mais e Taggy, além de instituições financeiras disponibilizam a etiqueta eletrônica por meio dos seus sites e aplicativos. A recomendação é que o veículo esteja com a tag previamente instalada no para-brisa para que o valor seja faturado automaticamente.

“Sugerimos aos nossos clientes que possuem conta corrente, que busquem junto ao seu gerente informações a respeito do fornecimento da tag pelo banco que seja mais adequada a cada um”, indica o diretor-presidente da CSG, Ricardo Peres.

Outras formas de pagamento são por meio de Pix, cartão de crédito, ou ainda inserindo saldo pré-pago no aplicativo “CSG FreeFlow” ou diretamente no site freeflow.csg.com.br. Para isso, basta baixar o aplicativo ou entrar no site, realizar seu cadastro, adicionar seu veículo e aproveitar vantagens como avisos e descontos em tarifas futuras. Na sequência, o cliente será direcionado à tela em que é possível visualizar o histórico e realizar o pagamento de cada passagem individualmente ou todas de uma só vez. Por fim, basta escolher a forma de pagamento e confirmar as informações. O cliente pode optar pela busca anônima, informando apenas a placa do veículo e consultando faturas em aberto. Nesse caso, não é possível visualizar o histórico de passagens nem ter acesso aos descontos.

Na opção pré-paga, para efetuar a recarga, basta clicar em ‘Adicionar saldo’, inserir o valor e escolher a opção Pix ou cartão de crédito. Assim, as passagens serão pagas automaticamente. Caso não haja saldo suficiente, o pagamento ficará pendente. É importante lembrar que a adição de crédito não quita débitos já existentes. Também é possível fazer o resgate do saldo a qualquer momento, para isso é preciso clicar em “Perfil” e “Resgatar saldo”. O pagamento deve ser efetuado em até 15 dias após a passagem do veículo pelo pórtico.

Os motoristas também podem realizar o pagamento de maneira presencial, nos totens das bases de atendimento ao cliente da concessionária, localizadas em Ipê (ERS-122 – km 151,8), Flores da Cunha (ERS-122 – km 99,5), Farroupilha (RSC-453 – km 118,6), Bom Princípio (ERS-122 km 36,1) e, a partir de fevereiro de 2024, em Capela de Santana (ERS-240 – km 24,8), quando a antiga estrutura em Portão (km 13 da ERS-240) será desativada. Para o pagamento nos totens, basta tocar na tela e, em seguida, optar por “Pagamento Free Flow”, digitar a placa do veículo, clicar em “Buscar débitos” e selecionar o modo de pagamento.

Para os motoristas que utilizam o cartão do vale-pedágio, a CSG disponibiliza uma cabine em cada sentido da praça de Flores de Cunha, recentemente desativada, para o recebimento temporário desta modalidade que representa 0,34% dos veículos que passam pelo pórtico de Antônio Prado. A praça de pedágio em Portão – que será desativada quando os demais pórticos entram em operação – também aceitará momentaneamente a modalidade.

Desconto pode chegar a 20%   

Os veículos que passarem pelos pórticos free flow poderão ter descontos nas tarifas. Qualquer veículo (leve ou pesado) cadastrado previamente no aplicativo “CSG FreeFlow”, no site ou que utilize tag válida, terá redução de 5% no valor da tarifa. Os descontos para os veículos leves que circulam com maior frequência pelos pórticos, no mesmo sentido de fluxo e dentro de um mesmo mês, poderão chegar a 20%.

Como funciona o free flow

Com um moderno sistema, as câmeras localizadas nas estruturas dos pórticos reconhecem a altura, a largura e o comprimento, além da quantidade de eixos rodantes e suspensos. Durante a noite e em dias com neblina, por exemplo, o free flow funciona normalmente, já que os sensores operam até mesmo em situações de baixa visibilidade.

A inovação aplicada pela CSG nas rodovias estaduais também reduz o impacto ambiental, evitando desapropriações e obras significativas nos locais onde estão sendo instalados os equipamentos.

Apesar de ser uma novidade no Brasil, o free flow já é bastante utilizado em outros países, como China, Estados Unidos, Portugal e Chile. Em solo nacional, o sistema foi autorizado pela Lei 14.157/2021 e anunciado pelo Governo do Estado do RS e pela CSG em agosto de 2023.

0 Comentários

Deixe um Comentário

dezesseis + dezenove =

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password

Você não pode copiar o conteúdo desta página