Enchente surpreendeu pelo grande tamanho e rapidez

Enchente de novembro passado foi a maior já registrada na região - Crédito: Prefeitura do Caí

Uma das maiores enchentes dos últimos tempos. Não só em São Sebastião do Caí e Montenegro, municípios que já foram atingidos por grandes cheias, mas também pelo transbordamento de arroios de outras cidades e que são afluentes do rio Caí.

O Fato Novo já vinha destacando, através de vídeos e informações, os estragos causados pela elevação dos níveis de arroios como Forromeco, Salvador, Brochier, Cadeia, Maratá e outros. Cidades que não são banhadas pelo rio Caí, mas que os arroios transbordaram e deixaram um rastro de destruição. Foi o que aconteceu, por exemplo, em Salvador do Sul, São José do Sul, Brochier e Maratá. E está impactando na enchente em Montenegro.

Também a chuva na Serra, onde o rio tem sua nascente em São Francisco de Paula, influenciou nas cheias da parte baixa do Vale do Caí. As réguas da CPRM, que monitoram a bacia hidrográfica, já vinham apontando que teria enchente. Mas não se tinha uma projeção do tamanho e o rio acabou subindo rapidamente. Em Nova Palmira (Caxias do Sul), subiu 5 metros em menos de 24 horas. Só estabilizou às 10h30 da manhã de ontem, sexta-feira. Até o momento baixou cerca de 2 metros e meio, já saindo das cotas de inundação e de alerta.

Depois de subir bastante também na Feliz e Bom Princípio, ontem mesmo o rio já começou a baixar. E aí a preocupação maior passou a ser com São Sebastião do Caí e Montenegro, que ficam na parte mais baixa e costumam ser os mais atingidos pelas cheias. A própria ligação entre Caí, Harmonia e Pareci Novo, pela ERS 124, na localidade de Matiel, foi interrompida devido à inundação da pista.

Além dos prejuízos com estragos em várias cidades, outro problema tem sido a falta de luz, que tem causado também interrupção no abastecimento da Corsan em vários locais, principalmente no Caí e Montenegro.

Uma das maiores enchentes da história

Em São Sebastião do Caí, conforme a régua da Defesa Civil, a enchente chegou a 14m25cm por volta de 1h30 da madrugada deste sábado. Desde então estabilizou e passou a baixar lentamente. Por volta das 9 da manhã de hoje tinha baixado apenas 4 centímetros. Já na régua da CPRM, que está em outro local e utiliza uma medição diferente, o rio subiu cerca de 12 metros e chegou a 13m91cm em torno de 2h da madrugada de hoje, quando estabilizou e começou a baixar, sendo que às 9h da manhã marcava 13m67cm.

O rio subiu rapidamente e atingiu locais em que antes a enchente não alcançava
– Crédito: Prefeitura do Caí

O coordenador da Defesa Civil do Caí, Ênio dos Santos, o rio Caí está baixando devagar devido ao vento e o represamento para desaguar no rio Jacuí, que também está com nível bastante alto. “Foi uma enchente surpreendente pela velocidade”, diz, sobre a rápida elevação do nível, atingindo principalmente os bairros Navegantes, Vila Rica e Quilombo, alem de Rio Branco e parte do centro, Pareci Velho, Barra do Cadeia, Canto Alegre e Campestre da Conceição. Além do rio, o arroio Cadeia também transbordou. “Também tivemos que remover famílias até do Campestre e Lajeadinho.

A água subiu num nível não visto nos últimos tempos, chegando a locais que antes não atingia”, completa. A previsão inicial era de uma enchente entre 13m50cm a 14 metros, mas a cheia foi atípica, como ocorreu em toda a região e o Estado. No Caí, pela régua da Defesa Civil, chegou a 14m25cm. Enio cita que foram removidas 48 famílias para o ginásio do bairro Rio Branco e Associação de Moradores do bairro Quilombo, fora as que foram para casas de parentes e amigos.

Em Montenegro não se tinha previsão de uma enchente tão grande

Em Montenegro também não se tinha uma previsão de uma enchente deste porte. “A proporção foi além do que imaginávamos”, diz o coordenador da Defesa Civil, Carlos Ferrão. “Achamos que seria pequena e está sendo de grande porte”, completa. Ressalta a mobilização da Defesa Civil, Prefeitura e Corpo de Bombeiros. “Estamos formando uma força-tarefa, inclusive com a vinda de bombeiros de fora e mais embarcações”, afirma.

Além dos bairros mais próximos ao rio, como Industrial, Tanac, Ferroviário e Olaria, a enchente em Montenegro já está chegando ao centro, na altura dos bancos. De acordo com a Prefeitura, o rio ainda está subindo, em ritmo menor, de cerca de 5 centímetros por hora, com a elevação devendo se estender até ao início da tarde, quando deve se estabilizar. Quem precisar de ajuda deve entrar em contato com os Bombeiros no fone 193 ou com a Defesa Civil no 99459 4755. Desde a madrugada as equipes da Defesa Civil, Bombeiros e Secretaria de Habitação, estão retirando famílias de casas alagadas, levando para residências de parentes e também para o abrigo no ginásio do bairro Cinco de Maio. Pela régua da CPRM, o rio subiu mais de 7 metros em Montenegro e às 9h30 da manhã de hoje marcava 8m68cm.

O serviço de Assistência Social da Prefeitura faz um apelo à comunidade. São necessárias mais roupas e cobertores para atender as vítimas da enchente. Principalmente calças e casacos masculinos de inverno. Quem puder doar roupas de cama também estará ajudando muito. A entrega deve ser feita no Ginásio Cinco de Maio.

0 Comentários

Deixe um Comentário

dois × quatro =

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password

Você não pode copiar o conteúdo desta página