Focos se espalham pelo município e combate ao mosquito deve ser reforçado - Crédito: Prefeitura
Durante todo o ano de 2021, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), por meio da Vigilância Sanitária, monitorou a evolução dos focos positivos do mosquito Aedes aegypti em armadilhas deixadas em todos os bairros da cidade. Neste final de ano, contabilizando todos os focos encontrados, o resultado foi um número preocupante e que exigirá um trabalho mais forte em 2022: 192 positivos em 23 bairros.
Esse dado mostra que há muita circulação do mosquito transmissor da Dengue, Zika vírus, da Febre Chikungunya e da Febre Amarela Urbana no município. A chefe da Vigilância em Saúde, Beatriz Garcia, destaca que esse levantamento foi realizado no trabalho de porta em porta pelos agentes de combates a endemias. “São números preocupantes e que nos mostram que atitudes mais fortes deverão ser tomadas no próximo ano, para que não apareçam casos de Dengue na cidade”, enfatiza.
O bairro campeão de focos é o São Paulo, onde foram encontrados 26. O local, desde o início do ano, sempre esteve com situação delicada e à frente dos outros. Ele é seguido pelo Germano Henke, com 22, e São João e Centro com 19 focos positivos cada. Segundo Beatriz, são bairros que terão ainda mais atenção e fiscalização em 2022.
Observando esse cenário nada animador, Beatriz enfatiza que as ações serão reforçadas de acordo com a possibilidade e capacidade de agentes. “Estamos tentando admitir mais agentes para auxiliar no trabalho”, destaca, salientando que a medida poderá acontecer ainda no início de ano. A chefe do setor relata que, em função da pandemia, o trabalho foi prejudicado. No entanto, com o avanço da vacinação, a expectativa é que o serviço volte ao normal e que o foco volte para o combate ao mosquito.
A Vigilância em Saúde ainda pede o apoio da comunidade, uma peça fundamental para eliminação dos focos. “É preciso lembrar à comunidade para que não promova depósitos de água parada para evitar a proliferação de mosquitos”, destaca. A população é responsável, também, por garantir que não haja ambientes próprios para o nascimento e desenvolvimento do Aedes. Pequenas atitudes, como limpar e vedar bem a caixa d’água, eliminar qualquer tipo de água parada em potes e vasos de flores e descartar o lixo de forma consciente são fundamentais para a prevenção contra o mosquito. “Se a comunidade participar mais ativamente do controle, Montenegro não correrá riscos de ter qualquer tipo de surto futuramente”, explica Beatriz.
Focos ativos em 2021
São Paulo – 26 focos
Germano Henke – 22 focos
Centro – 19 focos
São João – 19 focos
Ferroviário – 14 focos
Rui Barbosa – 11 focos
Industrial – 10 focos
Olaria – 10 focos
Aeroclube – 9 focos
Municipal – 9 focos
Estação – 8 focos
Santo Antônio – 7 focos
Timbaúva – 6 focos
Santa Rita – 5 focos
Senai – 5 focos
Bela Vista – 4 focos
Centenário – 4 focos
Faxinal – 3 focos
Imigração – 2 focos
Panorama – 2 focos
Cinco de Maio – 1 foco
Porto dos Pereiras – 1 foco
Passo do Manduca – 1 foco

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here