Crédito: Felipe Dalla Valle/Palácio Piratini

Durou pouco a volta às atividades dos estabelecimentos comerciais em geral no Vale do Caí (Exceto Montenegro). Em vídeo divulgado nessa terça-feira, o governador Eduardo Leite (PSDB) informou que, por meio de decreto a ser publicado no Diário Oficial do RS desta quarta, as atividades comerciais consideradas não essenciais estarão vetadas no Estado até o dia 15 de abril.

Leite reforçou que os municípios não poderão tomar posição sobre a questão. Contatado pelo Fato Novo, o presidente da Associação dos Municípios do Vale do Rio Caí (Amvarc), Lico Fink (PSDB), confirmou que a decisão será acatada. “Prevalece a lei superior, deveremos seguir o decreto estadual, mas ainda aguardo parecer jurídico”, disse o prefeito de Harmonia com relação à possibilidade da publicação de novos decretos municipais.

O governador voltou a alertar em sua manifestação sobre a importância da adoção de cuidados extremos nesse período para que a Covid-19 não se espalhe com rapidez e cause colapso no sistema de saúde. “Alguns municípios ensaiaram relaxamentos de restrições. Não vou discutir se as restrições começaram mais cedo que o necessário. O que importa é que justamente agora, pela análise e ciência, revela-se mais importante a restrição”, pontuou Leite.

A análise de dados indica um aumento dos casos de Covid-19 no Estado. O governador acredita que até 15 de abril se tenha um panorama mais claro da evolução do número de infecções entre os gaúchos e que as estruturas de atendimento possam estar mais preparadas para receber os doentes. “Podemos chegar a um incremento de 50% de UTIs disponibilizadas no SUS, uma ação coordenada de Estado, Ministério da Saúde e municípios”, projeta.

Ainda em sua manifestação, Eduardo Leite afirmou que atividades consideradas essenciais, como indústria e construção civil, continuarão funcionando.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here