Menina montenegrina de 8 anos colocou aparelho para tentar salvar a perna esquerda - Reprodução/FN

A recuperação da montenegrina Natália Barbosa Tavares, de 8 anos, que fez cirurgia em sua perna esquerda na última segunda-feira, no Hospital Vita, em Curitiba (Paraná), estava indo muito bem. Foi colocado um aparelho importado dos Estados Unidos e que deverá salvar a perna de “Nati”. A cirurgia demorou mais do que o previsto, quase 7 horas, porque foi preciso tirar mais do tecido necrosado na área afetada pelo tumor. Também teve que ser estancada uma hemorragia no corte na virilha onde houve a retirada do enxerto ósseo da bacia. Mas o procedimento foi considerado um sucesso.

Conforme o pai, Claudio Tavares, a recuperação estava indo tão bem que ainda ontem, quinta-feira, já tinha iniciado a fisioterapia. Mas na tarde de ontem houve uma piora no quadro de saúde de Natália, principalmente devido aos constantes vômitos e fortes dores abdominais. A equipe médica pediu vários exames. Conforme Claudio, os exames no pulmão não acusaram nada de normal. Mas não se descobriu a causa dos vômitos, que fez o nível de potássio no sangue atingir níveis críticos. Devido à necessidade urgente de reposição e monitoramento dos níveis críticos de potássio no sangue, incluindo riscos de danos cardíacos, foi decidida pela transferência de Natália do quarto para a UTI pediátrica. Com isso reduzem maiores riscos, já que pode ser feita a reposição controlada de potássio. Outra preocupação é que os exames de sangue indicaram uma infecção. Por isso também foi iniciado um tratamento com antibiótico.

A comunidade vem acompanhando a evolução no quadro clínico de Natália através das redes sociais, como pelo facebook Juntos com a Natália, no instagram junto_com_nati e pelo WhatsApp 984053535. Os familiares atualizam as informações todos os dias, já que a campanha em benefício da menina mobilizou toda a cidade e até outros municípios. Além das contribuições, a comunidade continua torcendo e orando pela recuperação de Natália, numa grande corrente de solidariedade.

Como ajudar

Após uma fratura na tíbia da perna esquerda, Nat, como é mais conhecida a simpática e comunicativa estudante da escola Walter Belian, fez uma cirurgia cinco anos atrás. Só que ao ser retirado o aparelho fixador externo de Ilizarov, notou-se que não se consolidou e surgiu o temor de necessidade de amputação da perna. Os pais, Claudio e Daniela, foram atrás de alternativas para enfrentar o problema da Neurofibromatose (NF1), uma doença neurológica rara. A primeira notícia é de que o tratamento só poderia ser feito nos Estados Unidos, o que geraria um custo de cerca de R$ 250 mil. Mas depois de uma viagem para o Paraná, veio a notícia de que a cirurgia, com a colocação de um aparelho, poderia ser feita em Curitiba. Com isso a despesas caíram pela metade. Uma grande mobilização está sendo feita junto à comunidade para garantir os recursos necessários para o tratamento. Com a implantação do aparelho, é feito um alongamento ósseo, buscando recuperar o osso em cerca de 8 centímetros. Dez meses depois da cirurgia, terá de ser feito um novo procedimento para a retirada do aparelho e a colocação das hastes intramedulares, dentro do osso que será reconstituído, para que Natália volte a caminhar normalmente.

Através das doações por contas bancárias, no site Vakinha, rifas e outras iniciativas, foram arrecadados cerca de R$ 80 mil para a compra do aparelho e despesas médicas. O objetivo é chegar a R$ 120 mil. Natália embarcou no feriado de 20 de setembro, quinta-feira, e na última segunda fez a cirurgia de implantação do aparelho Hexapod, que deve evitar a amputação da perna. Doações ainda podem ser feitas em contas bancárias da Caixa Federal e Banco do Brasil, além do Vakinha online. Também tem as rifas, em vários pontos da cidade, de sorteio de camisetas autografadas por jogadores do Grêmio e do Inter, além da Seleção Brasileira autografada pelo craque Neimar. Cada cartela custa apenas 5 reais. Informações sobre como ajudar podem ser obtidas no facebook Juntos com a Natália, no instagram junto_com_nati, pelo WhatsApp 984053535 e pelo telefone 3632 3535. (GSB)

Deixe seu comentário