Brigada prendeu homem que colocou fogo no carro da ex-mulher /Reprodução/FN

As mulheres não podem subestimar o risco

“Temos que comemorar, mas ainda tem muito que avançar”. A declaração é da delegada Cleusa Spinato, titular da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM) do Vale do Caí e também da DP do Caí. A doutora Cleusa ressalta a importância da Lei Maria da Penha, implantada faz 12 anos, que trouxe medidas protetivas para evitar a violência contra a mulher. Mesmo assim ela admite que ainda é necessária uma rede maior de proteção. Cita casos graves de feminicídio, que chegaram a resultar em mortes, como a terapeuta ocupacional Mariane da Silva Isbarrola, 30 anos, do CAPS de Montenegro, morta a facada pelo ex-marido em Porto Alegre em abril deste ano. E do caso da mãe e duas filhas dela mortas também a facadas pelo ex-marido dela, em 2016, em Bom Princípio. “As mulheres não podem subestimar o risco”, alerta a delegada, sobre a importância de denunciar os casos de ameaça, estupro, agressão. As denúncias podem ocorrer tanto nas delegacias e Brigada Militar, como pelo telefone 180. Familiares, amigos e vizinhos também podem fazer denúncias, mesmo de maneira anônima.

Dentro da rede de proteção, a delegada Cleusa está na luta pela implantação da casa de acolhimento Filhas de Maria. A moradia está sendo construída no interior de Montenegro, em local mantido sob sigilo, para receber mulheres vítimas de violência e seus filhos. Para a sua implantação foi acertada uma parceria entre a Delegacia da Mulher, Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres (Comdim), Cufa e Recreo. “Estamos assinando convênios com as Prefeituras da região”, informa a delegada, lembrando que o atendimento, através do Recreo, já está ocorrendo, mas com a nova casa terá uma estrutura bem melhor.

Violência prossegue
No último final de semana foram registrados pela Polícia Civil e Brigada Militar pelo menos três casos de violência contra a mulher só em Montenegro.

Num deles, sábado, no bairro Cinco de Maio, um homem de 44 anos chegou a disparar um tiro, mas por sorte não atingiu a vítima, de 44 anos. Na sequência ele atingiu a mulher com uma arma de choque. Ele foi indiciado por tentativa de homicídio.

Também no sábado e no bairro Cinco de Maio, um homem de 29 anos ameaçou a ex-companheira com uma faca. Detento do regime semi-aberto, ele foi contido pelos PMs, mas aí acabou cravando a faca no próprio peito. Foi socorrido pelo Samu e encaminhado ao Hospital Montenegro.

Em outro caso, onde houve prisão, na madrugada de domingo um homem de 39 anos descumpriu as medidas protetivas determinadas pela Justiça e tentou invadir a casa da ex-companheira, no bairro Rui Barbosa. Como não conseguiu entrar na moradia, acabou colocando fogo no carro dela. Foi preso mais tarde quando estava se divertindo numa danceteria.

E durante a semana ocorreu outro caso. Na noite de quarta-feira, no bairro Senai, a Brigada Militar foi chamada porque um homem estaria agredindo a esposa e a sogra, com socos e pontapés. No local, segundo os PMs, o acusado chegou a ameaçar a guarnição, intimidando ao dizer que fazia parte de uma facção e que iria se vingar. Foi preso e conduzido para a Delegacia.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here