O prédio antigo da secretaria da agricultura está sendo reformado para ser a nova delegacia de polícia /Renato Klein/FN

No ano passado aconteceu uma “epidemia” de homicídios no município. Foram nove casos de morte, todas elas relacionadas com guerra entre quadrilhas ou castigo aos drogados que ficaram devendo aos seus fornecedores.Matar os concorrentes e apavorar os drogados que não pagam as drogas que consomem é o modo dos traficantes castigar quem não paga suas dívidas.

Além das nove vítimas fatais, houveram mais sete tentativas de homicídios relacionadas com o tráfico.

Nove homicídios em um ano é um número absurdamente alto para um município pequeno como o Caí. E a redução desse número a zero, em 2018, significa um progresso extraordinário. Mesmo que o ano ainda não tenha terminado.

Como se vê, a Brigada Militar e a Polícia Civil caienses realizaram um excelente trabalho no combate ao tráfico de drogas e à guerra entre quadrilhas.

PERSPECTIVAS
Se 2018 já está sendo bom, as perspectivas para o futuro são ainda melhores.

Doze câmeras de vigilância adquiridas recentemente estão em fase final de instalação na sede do município e nos bairros Conceição e São Martim. Além disso uma sala com doze telas de TV já está instalada no quartel da Brigada, onde as imagens de pontos estratégicos do município serão constantemente assistidas e gravadas.

CASA NOVA
Também a Polícia Civil está próxima de receber um importante melhoramento.

O prédio onde funcionava a Secretaria Municipal da Agricultura, na rua Coronel Paulino Teixeira, foi desocupado e a secretaria foi transferida para o prédio da antiga Blavel. E, assim, o prédio da Secretaria da Agricultura ficou disponível e o prefeito Clóvis Duarte, que foi policial antes de ser prefeito, resolveu fazer uma reforma no prédio com o objetivo de transferir para lá a delegacia de polícia.

Assim, com a orientação do prefeito e da delegada Cleusa Spinato, o arquiteto Alexandre Koch elaborou o projeto da nova DP e as obras de reforma estão em andamento. A previsão é de que fiquem prontas até o final desse ano. Com a reforma, o prédio vai passar de 351,98 m² para 478,05m², e assim a polícia civil terá melhores condições para continuar combatendo o crime.

Deixe seu comentário