Terá 2º turno na eleição para Presidente e Governador - Crédito: TSE

O Vale do Caí novamente ficou sem deputado, não elegendo representantes para a Assembléia Legislativa e para a Câmara Federal neste domingo, 7 de outubro.

Entre os candidatos a deputado estadual de Montenegro, Waldir Kleber (MDB) fez 4.609 votos, Chacall (PV) 3.266, Marcio Muller (SD) 1.346 e Nei da Kombi (PROS) 420 votos. Renato Rocha (PP), que é de Rio Pardo, mas reside em Montenegro, fez 5.940 votos. E Andrea Azevedo (Novo), que mora em Canoas, mas é natural de Montenegro, fez 6.668 votos. O ex-deputado e ex-prefeito de Montenegro, Paulo Azeredo (PDT), não teve os seus votos divulgados porque está com a candidatura indeferida pela Justiça Eleitoral, mas como entrou com recurso ainda poderá ter a sua votação divulgada se os votos forem validados. Dirceu Quadros (Novo), que é de Feliz, fez 4.980 votos.

Segundo turno

Os eleitores vão voltar a votar no próximo dia 28 de outubro, um domingo, quando ocorrerá o segundo turno das eleições, decidindo quem será o próximo presidente da República e o Governador do Estado. Não houve definição ainda no primeiro turno, que ocorreu neste domingo, dia 7, porque nenhum candidato conquistou mais da metade dos votos.

Para presidente, Jair Bolsonaro (PSL) totalizou 46% dos votos válidos. Ele vai disputar o segundo turno com Fernando Haddad (PT), que fez 29%. Ciro Gomes (PDT) ficou em terceiro com 12,5%, seguido de Geraldo Alckmin (PSDB) com 4,8% e João Amoêdo (Novo) com 2,5% dos votos válidos. Para o Governo do Estado, a disputa será entre o ex-prefeito de Pelotas, Eduardo Leite (PSDB), que no primeiro turno foi o mais votado com 35,8%, e o atual governador José Ivo Sartori (PMDB) com 31,1%. Miguel Rossetto (PT) ficou em terceiro com 17,7%, seguido de Jairo Jorge (PDT) com 11% e Mateus Bandeira (Novo) com 3,3%. Os senadores eleitos são Luiz Carlos Heinze (PP) com 21,94% e Paulo Paim (PT) com 17,77%. Beto Albuquerque (PSB) ficou em terceiro com 16,23%, seguido de Carmen Flores (PSL) com 14,30% e José Fogaça (MDB) com 13,88%.

Deputados federais eleitos

Os 31 deputados federais eleitos no Rio Grande do Sul foram: Marcel Van Hattem (Novo), Onyx Lorenzoni (DEM), Giovani Cherini (PR), Paulo Pimenta (PT), Fernanda Melchionna (PSOL), Marcon (PT), Marlon Santos (PDT), Lucas Redecker (PSDB), Henrique Fontana (PT), Danrlei de Deus Goleiro (PSD), Bohn Gass (PT), Carlos Gomes (PRB), Heitor Schuch (PSB), Covatti Filho (PP), Márcio Biolchi (MDB), Pedro Westphalen (PP), Maria do Rosário (PT), Alceu Moreira (MDB), Afonso Hamm (PP), Giovani Feltes (MDB), Bibo Nunes (PSL), Sanderson Federal (PSL), Osmar Terra (MDB), Jerônimo Goergen (PP), Maurício Dziedricki (PTB), Pompeo de Mattos (PDT), Daniel da TV (PSDB), Afonso Motta (PDT), Liziane Bayer (PSB), Nereu Crispin (PSL), Marcelo Moraes (PTB).

Deputados estaduais eleitos

Já os 55 deputados estaduais eleitos são: Silvana Covatti (PP), Ernani Polo (PP), Lara (PTB), Sérgio Turra (PP), Adolfo Brito (PP), Kelly Moraes (PTB), Classmann (PTB), Dirceu do Busato (PTB), Elizandro Sabino (PTB), Professor Issur Koch (PP), Frederico Antunes (PP), Gabriel Souza (MDB), Tiago Simon (MDB), Edson Brum (MDB), Costella (MDB), Fábio Branco (MDB), Zanchin (MDB), Gilberto Capoani (MDB), Sebastião Melo (MDB), Edegar Pretto (PT), Valdeci Oliveira (PT), Jeferson Fernandes (PT), Mainardi (PT), Pepe Vargas (PT), Zé Nunes (PT), Sofia Cavedon (PT), Fernando Marroni (PT), Tenente Coronel Zucco (PSL), Ruy Irigaray (PSL), Dr. Thiago (DEM), Eric Lins (DEM), Vilmar Lourenço (PSL), Capitão Macedo (PSL), Any Ortiz (PPS), Pedro Pereira (PSDB), Mateus Wesp (PSDB), Viana (PSDB), Zilá Breitenbach (PSDB), Eduardo Loureiro (PDT), Juliana Brizola (PDT), Gerson Burmann (PDT), Luiz Marenco (PDT), Gaúcho da Geral (PSD), Paparico Bacchi (PR), Airton Lima (PR), Elton Weber (PSB), Franciane Bayer (PSB), Dalciso Oliveira (PSB), Fábio Ostermann (Novo), Giuseppe Riesgo (Novo), Sergio Peres (PRB), Fran Somensi (PRB), Luciana Genro (PSOL), Rodrigo Maroni (Podemos), Neri O Carteiro (Solidariedade). A lista de deputados estaduais eleitos ainda pode mudar caso sejam validados votos de candidaturas indeferidas que estão com recursos no TSE.

Deixe seu comentário