Com a Câmara lotada, 6 vereadores foram favoráveis e 4 contra o impeachment, mas eram necessários 7 votos para a abertura do processo - Crédito: Guilherme Baptista/FN

Dos dez vereadores, seis votaram favorável a abertura de um novo processo de impeachment em Montenegro. Entretanto, eram necessários dois terços dos votos, ou seja, a aprovação de sete vereadores. Por isso a abertura do processo foi rejeitada e o pedido de cassação do prefeito Kadu Müller (PP) foi arquivado.

O auditório da Câmara de Vereadores de Montenegro estava totalmente lotado na noite desta quarta-feira, 30 de outubro, inclusive com várias pessoas ficando de pé. No plenário grande parte eram funcionários da Prefeitura, em apoio ao prefeito. Além disso, teve transmissão ao vivo pela internet no https://youtu.be/ETvXZMif9nM.

Antes da votação aconteceu a manifestação dos vereadores. A pauta ainda incluiu a votação de dois projetos e um requerimento.

Após a leitura do documento que pediu a abertura do processo de impeachment, iniciou a votação dos vereadores. Votaram favoráveis ao pedido seis vereadores: Neri de Melo Pena, o Cabelo (PTB); Valdecir Alves de Castro (PSB), Juarez da Silva (PTB), Felipe Kinn da Silva (MDB), Cristiano Braatz (MDB) e Érico Velten (PDT). E foram contrários quatro vereadores: Joel Kerber (PP), Josi Paz (PSB), Rose Almeida (PSB) e Talis Ferreira (PR).

Foi o segundo pedido de impeachment rejeitado em questão de cinco meses. No anterior, em maio, a votação terminou 5 a 5 e a abertura do processo também foi negada. Anteriormente, dois prefeitos de Montenegro foram cassados através de impeachment: Luiz Américo Alves Aldana em 2017 e Paulo Azeredo em 2015.

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here