Após a derrota na eleição, atual prefeito pretende voltar a atuar na iniciativa privada - Reprodução/FN

Em entrevista na Rádio América, o atual prefeito Carlos Eduardo Müller, o “Kadu” (PP), disse que já esperava uma eleição bastante difícil no último dia 15 de novembro. “Foi uma campanha de alto nível”, avalia.

Kadu buscava a reeleição, mas com 9.190 votos (29,30%) acabou sendo derrotado por Gustavo Zanatta (PTB) que fez 12.376 votos (39,46%), sendo que ainda concorreram mais três candidatos. “Tínhamos a expectativa de sair vencedor. Não existe tristeza e frustração. Fizemos um trabalho sério e transparente, mostrando o trabalho que realizamos. Respeitamos a decisão da população. Vamos fazer o final do nosso mandato da melhor maneira possível”, declarou.

Passada a eleição, Kadu diz que está abrindo as portas da Prefeitura para os integrantes do futuro governo. “A transição está ocorrendo de forma tranqüila. Não é porque perdi a eleição que vou prejudicar a nova administração. Foi criada uma comissão já em 17 de novembro e estamos trabalhando com toda a transparência”, declara. Um dos integrantes da transição é o atual secretário da fazenda Antônio Miguel Filla, que vai continuar no mesmo cargo a partir de 1º de janeiro de 2020. “Nossa arrecadação aumentou R$ 18 milhões entre janeiro a novembro deste ano”, diz Filla, comparando com o mesmo período de 2019. “Vamos fechar o ano com equilíbrio econômico”, completa.

As dificuldades e o futuro

Kadu foi eleito vice-prefeito em 2016, na chapa encabeçada por Luiz Américo Alves Aldana. Em setembro do ano seguinte Aldana foi cassado num processo de impeachment, após já ter sido afastado pela Justiça nas investigações de irregularidades denunciadas na Operação Ibiaçá. O município já vinha de um impeachment anterior, de Paulo Azeredo, cassado em 2015, quando Aldana era vice e assumiu a Prefeitura. Além disso, quando Kadu assumiu, Montenegro enfrentava um grande déficit, dívidas com fornecedores e descrédito. Ao longo de seu governo, Kadu buscou o equilíbrio financeiro para colocar as contas em dia. “O novo governo vai receber uma cidade bem mais organizada, com superávit, dinheiro em caixa e todas as contas em dia”, garante.

Em 2020 Kadu tem enfrentado um ano atípico, com estiagens, enchentes e a pandemia. E mesmo com as dificuldades tem conseguido realizar obras. “Foi uma experiência gratificante”, diz, sobre administrar o município. “Vamos torcer que a nova administração possa fazer uma Montenegro melhor”, completa o atual prefeito, que diz que a partir de 1º de janeiro vai tirar uns dias para descansar e ficar mais com a família. “Não vou me afastar da política. Vamos pensar o futuro e quem sabe disputar mais algum pleito”, afirmou, não descartando a possibilidade de voltar a concorrer. Kadu também disse que pretende voltar a atuar na iniciativa privada. “A vida continua”, conclui, em entrevista na Rádio América, que também teve a participação do chefe de gabinete, Rafael Riffel.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here