Alex Sandro da Silva voltou a protocolar denúncias na Câmara de Vereadores - Crédito: Arquivo/FN

O ex-diretor de trânsito da Prefeitura de Montenegro, Alex Sandro da Silva, protocolou na tarde desta sexta-feira, dia 25, às 14h22min, na Câmara de Vereadores, uma documentação pedindo providências para que sejam apuradas as denúncias. Segundo Alex, existem fortes indícios de que no âmbito da Prefeitura estão sendo planejados e praticados possíveis atos ilícitos, ligados à Administração Municipal que assumiu no segundo semestre de 2017. Ele cita no protocolo o atual prefeito Carlos Eduardo Müller (Kadu) e alguns secretários municipais, entre eles alguns que já deixaram seus cargos. Conforme Alex, as denúncias se referem ao transporte escolar, coleta e transporte de lixo e na obra de pavimentação da rodovia Transcitrus.

Embora se trate de “denúncia anônima”, Alex diz que o material está sendo acompanhado por uma série de documentos, incluindo áudios e vídeos. Ele diz que recebeu um envelope anônimo com áudios e documentos. “Fiquei assombrado com a quantidade de coisas que vem acontecendo, envolvendo agentes públicos que estão se beneficiando da máquina pública para poder enriquecer”, declara. “Há irregularidades tanto no transporte escolar, como no lixo, licitação da Transcitrus. Algumas coisas estão explícitas e a Câmara de Vereadores tem que apurar os fatos para ver quem está saqueando o município”, completa. “Em alguns áudios aparece à negociata de dinheiro que é devolvido e dividido”, diz, garantindo serem provas contundentes.  Alex diz que entregou os áudios para a Câmara e não repassou para a imprensa.

Formato não seria de pedido de impeachment

De acordo com o presidente da Câmara, vereador Cristiano Braatz, o material protocolado será encaminhado para a análise do departamento jurídico do legislativo. Entretanto, numa análise prévia, está sendo pedida a apuração de denúncias por partes dos vereadores. Segundo Cristiano, isso poderia ocorrer através de uma CPI.  Conforme Cristiano, neste formato apresentado, a denúncia não seguiu o protocolo para ser um pedido de impeachment.

O assessor jurídico da Câmara, Alexandre Muniz de Moura, diz que todo o material recebido será analisado e depois o parecer será passado para o presidente da Câmara.

Alex Sandro lamentou a burocracia e saiu da Câmara dizendo que irá encaminhar uma nova solicitação para que seja feita em formato de pedido de impeachment.

Impeachments

Dois prefeitos de Montenegro – Paulo Azeredo em 2015 e Luiz Américo Alves Aldana em 2017, foram afastados em processos de impeachment. Em maio deste ano a Câmara recebeu também um pedido de impeachment contra o atual prefeito Kadu Müller, mas a abertura do processo foi rejeitada numa votação que terminou 5 a 5, sendo que eram necessários no mínimo 7 votos (dois terços dos dez vereadores).

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here