Sede do Legislativo é no mesmo prédio da Prefeitura Crédito: Prefeitura de Tupandi

Foi feito mais uma vez o levantamento dos gastos das Câmaras de Vereadores do Vale do Caí. E novamente o legislativo de Tupandi ficou em primeiro lugar como o mais econômico da região, tendo gasto apenas 1,12% do orçamento do município. A Câmara tupandiense gastou apenas 305 mil reais ao longo de todo o ano passado. Os vereadores ganham um salário de apenas 1.700 reais e a Câmara tem apenas dois funcionários. Isso mesmo sendo considerado o município mais rico da região.

Pelo levantamento realizado pelo Grupo Editorial Sinos e divulgado no jornal ABC do último domingo, dia 16, foi a sétima vez que o legislativo de Tupandi ficou em primeiro no Vale do Caí e em segundo na área de abrangência do jornal que abrange também Vale do Sinos, Paranhana, Serra e Litoral. Foi pesquisado um total de 50 municípios, sendo que alguns da região ficaram de fora. Entre os 50, Tupandi só ficou atrás de Ivoti, que gastou com a Câmara 1,02% do orçamento do município. Em 2016 Tupandi ficou em primeiro entre as 50 cidades. Além de uma estrutura enxuta, todos os vereadores de Tupandi pagam suas próprias despesas com viagens e eventos. A sede do legislativo é na própria Prefeitura, sem precisar pagar aluguel ou construir prédio próprio.

Em segundo na região ficou São José do Hortêncio, que gastou 1,47% do orçamento e onde o salário dos vereadores é menor ainda que Tupandi: 1.088 reais. Linha Nova (1,65%), Feliz (1,70%), São Sebastião do Caí (1,78%), Alto Feliz (1,87%), Harmonia (1,89%), Montenegro (2,02%), Bom Princípio (2,29%), Salvador do Sul (2,37%), Vale Real (2,50%), São Vendelino (2,94%) e Pareci Novo (3,86%) vem na sequência. Na penúltima colocação está Brochier (4,62%) e na última vem Capela de Santana (no limite de 6%).

Na Capela o salário de cada vereador é de R$ 3.256 e a Câmara tem cinco funcionários. Até reduziu um pouco o gasto em relação ao ano anterior, quando comprometeu 6,24% do orçamento. Mas isso porque o orçamento municipal aumento R$ 2,23 milhões. Os gastos elevados são atribuídos a conclusão da nova sede, construída na Avenida Coronel Orestes Lucas e inaugurada no final do ano passado, com investimento total de R$ 676 mil. Brochier também construiu uma sede própria. E com isso aumentaram os custos com a manutenção do prédio.

O ranking é elaborado através do levantamento de dados como orçamento dos municípios e do legislativo, que são coletados junto ao Tribunal de Contas do Estado.A posição de cada município é resultado do cruzamento de informações como receita realizada em 2017 pela Prefeitura e os gastos totais da Câmara de Vereadores. A maioria dos municípios reduziu seu percentual de gasto em relação ao orçamento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here