Vereadores Paulinho e Edson participaram hoje de programa na Rádio América, quando falaram em projetos e também sobre possíveis candidatos - Crédito: Guilherme Baptista/FN

O prefeito Oregino Francisco já tinha anunciado que era pré-candidato à reeleição pelo PDT. E como estava em seu terceiro mandato como prefeito, tendo também sido vice-prefeito, sem jamais perder uma eleição, surgia como favorito. No ano passado chegou inclusive a cogitar de ser candidato em Montenegro, mas depois anunciou que a intenção era buscar um quarto mandato na Prefeitura de Pareci Novo.

Lamentavelmente Oregino veio a falecer no último dia 22 de dezembro, vítima de parada cardiorrespiratória, aos 63 anos de idade. Com a morte de Oregino, quem assumiu a prefeitura foi o seu vice, Paulo Alexandre Barth, também do PDT.

Atual prefeito, Alexandre Barth disse que seu nome está à disposição para concorrer
– Arquivo/FN

Alexandre já tem grande experiência. Foi três vezes vereador e estava no segundo mandato seguido como vice-prefeito. Declarou que pretende dar seguimento ao trabalho de Oregino. Como já era vice-prefeito e não poderia ocupar pela terceira vez seguida o mesmo cargo, revelou que sua intenção era disputar uma vaga na Câmara de Vereadores. Mas agora, após assumir a Prefeitura, a situação mudou. Como prefeito, se quiser concorrer a outro cargo, como vereador, Alexandre teria que deixar a Prefeitura seis meses antes da eleição, ou seja, até 4 de abril. Agora como prefeito, Alexandre é pré-candidato natural à reeleição. “Meu nome está à disposição”, declarou, em entrevista à Rádio América na última terça-feira, preferindo não entrar em detalhes quanto a possível candidatura, por entender que ainda é cedo e o Pareci ainda vive um clima de comoção devido a morte do prefeito Oregino Francisco.

Para o vereador Paulinho Reisdorfer (PDT), líder do governo e que participou hoje de programa na Rádio América, de Montenegro, o nome de Alexandre ganha força pelo seu currículo. Ele diz que o tema ainda não foi discutido no partido porque a morte do prefeito Oregino é muito recente. Além de Alexandre, Paulinho cita o nome do secretário de cultura, Gelci Mello. Entretanto, Gelci está no MDB, partido pelo qual concorreu a Prefeito em 2012, quando perdeu por apenas 13 votos. E o MDB hoje é um partido de oposição, que na última eleição, em 2016, coligou com o PTB, com quem também integra a bancada oposicionista na Câmara de Vereadores. Já o PDT, atualmente, está mais próximo do PSL e do Republicanos.

O vereador Edson Müller (PTB), que também participou hoje de programa na Rádio América, é o nome mais forte da oposição. Ex-secretário municipal da agricultura, foi o vereador mais votado na última eleição. “Coloquei meu nome à disposição”, declarou, confirmando que é pré-candidato à Prefeitura. Segundo ele, outros nomes cotados e que foram apontados em pesquisa realizada no ano passado, são do ex-prefeito Rafael Riffel (PTB), que atualmente é chefe de gabinete da Prefeitura de Montenegro; do vereador Francisco Mendel (MDB), e da ex-secretária de saúde do Pareci, Cristina Reinheimer. Cristina é atualmente secretária da saúde em Montenegro.

Pelo calendário eleitoral, quem pretende concorrer neste ano tem que estar filiado ou trocar de partido até 4 de abril, seis meses antes da eleição. Já as convenções, que vão definir os candidatos a prefeito, vice e vereadores, vão ocorrer entre 20 de julho e 5 de agosto. A eleição vai ocorrer no dia 4 de outubro.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here