Anteprojeto para a construção de nova ponte sobre o rio Caí foi a segunda proposta mais votada Crédito: Renato Klein/FN

A Consulta Popular de 2020 esteve ameaçada de não sair, em razão da pandemia e falta de recursos. Mas o Governo do Estado, através da Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão (SPGG), confirmou a realização neste ano e foram definidas as datas de votação da Consulta Popular 2020. Neste ano ela vai ocorrer mais tarde, devido a pandemia e também as eleições municipais. E o processo será realizado totalmente de forma virtual no site www.consultapopular.rs.gov.br ou por SMS.

A votação vai ocorrer no período entre 26 de outubro e 3 de novembro. O Governo vai destinar R$ 20 milhões em projetos para municípios das 28 regiões dos Conselhos Regionais de Desenvolvimento (Coredes). Desse valor, R$ 10 milhões serão quitados em 2021, os outros R$ 10 milhões avaliados conforme a condição financeira de 2022. Nos próximos meses, serão realizadas assembleias públicas on-line, com o apoio e suporte do Fórum dos Coredes, para a definição dos projetos a serem votados pela população. As primeiras assembléias estão previstas para ocorrer entre 8 e 16 de setembro. Depois, entre 9 e 23 de setembro acontecem as assembleias regionais, microrregionais ou municipais. De 28 de setembro a 6 de outubro ocorrem as assembleias ampliadas on-line, para definição da cédula de votação. Entre 8 e 12 de outubro acontece a homologação das cédulas. E depois a votação.

Ponte e asfaltos

Presidente do Conselho Regional de Desenvolvimento (Corede), Alzir Bach, destaca que para o Vale do Caí estão destinados 700 mil reais. Ele admite que o valor é baixo, semelhante ao do ano passado que foi de R$ 685 mil, mas ressalta a importância da população participar e definir o destino dos recursos. Lembra que na cédula não serão incluídas demandas de saúde, educação e segurança, que são consideradas obrigação do Estado. No ano passado poderiam ser votados projetos referentes a turismo e agricultura.

Travessia sobre o rio, entre Pareci, Harmonia e Caí, ainda é feita pelas precárias e estreitas pontes do Matiel
– Arquivo/FN

Para este ano Alzir defende projetos amplos, em nível regional, lembrando a Transcitrus que através do asfaltamento interligou vários municípios e ainda tem trechos para serem concluídos. Além do asfalto, lembrou que pode ser incluído o projeto para uma nova ponte sobre o rio Caí, na ligação entre Pareci Novo e Harmonia com São Sebastião do Caí. A travessia ainda é feita em três pontes estreitas, no Matiel, causando transtornos e prejuízos, sendo um dos maiores obstáculos para o desenvolvimento da região. Alzir entende que uma das demandas propostas pode ser para a elaboração do projeto. E depois realizar uma grande mobilização, junto aos parlamentares, governos federal e estadual, para buscar os recursos necessários para a obra. Como o Daer não dispõe de recursos, acredita que podem ser buscadas emendas de deputados federais e senadores. Ainda são necessários também estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental, incluindo a definição sobre o local onde será construída a nova ponte, desviando o trânsito do centro do Caí até a RS 122, na ligação com a RS 124 no Pareci ou em Harmonia.

Projeto das enchentes

O Vale do Caí tem outros projetos regionais. Um deles era do videomonitoramento regional, mas os municípios cansaram de esperar por verbas federais e estaduais, partindo para projetos com recursos próprios.

No mês passado ocorreram três enchentes em duas semanas, mas até agora nenhuma medida foi tomada para conter as cheias
– Crédito: Fato Novo

Outro projeto é uma “novela” antiga, que já foi tema de inúmeras reuniões, estudos e promessas. Inclusive chegou a ser realizado um amplo levantamento pelo Estado em 2014, com investimento de R$ 1,4 milhão, sugerindo diques e canal extravasor para reduzir as enchentes do rio Caí. Mas até hoje nada saiu do papel. No mês passado a região voltou a sofrer com as cheias, ocorrendo três inundações em julho em menos de duas semanas.

No ano passado foram solicitados R$ 6 milhões para a elaboração do projeto de contenção das cheias do rio Caí e o Governo Federal prometeu liberação 3 milhões de reais, mas isso não se confirmou. Neste ano, em razão da pandemia do coronavírus, o Governo tem focado na área da saúde. “A expectativa é de que em outubro a situação retome”, acredita Alzir, lembrando que a solicitação de recursos foi encaminhada pelo senador Lasier Martins. “Esperamos recursos ainda para este ano”, conclui, otimista.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here