Estudo deve apontar o local para a ponte que vai substituir as três pontes estreitas do Matiel (foto) - Crédito: Daniel Fuchs Klein/FN

Em postagem na sua página no facebook, o prefeito de Pareci Novo e agora também presidente da Associação dos Municípios do Vale do Rio Caí (AMVARC), Oregino Francisco, fez um desabafo no que considerou um desrespeito com a região. “Quero manifestar nosso profundo descontentamento com a maneira com que o Secretário dos Transportes, Juvir Costella, tratou o pedido feito pela nossa região referente ao projeto para a ponte que liga a ERS 122 a ERS 124”, escreveu. “Esta ponte substituirá as três pontes existentes que hoje apresentam problemas de toda ordem, além de ser um grande risco a todos que utilizam a via”, completa, sobre os transtornos freqüentes, como congestionamentos e acidentes, nas pontes estreitas do Matiel.

Conforme Oregino, há pouco mais de um mês, o secretário Juvir recebeu os prefeitos de Pareci Novo, São Sebastião do Caí, Harmonia, presidente do COREDES (Conselho Regional de Desenvolvimento), e outras autoridades da região. Na ocasião, de acordo com o prefeito da AMVARC, o secretário dos transportes do Estado afirmou categoricamente “não haver recursos para nada”. O prefeito do Pareci cita que a solicitação da região era apenas para que a equipe técnica do DAER escolhesse o local para construção da nova ponte. Para Oregino, com a definição do local e a elaboração do projeto, a região poderá se mobilizar para ir atrás de recursos junto ao Governo Federal, como com a bancada federal de deputados, pleiteando emendas, ou com a EGR que arrecada recursos do pedágio de Portão. Os municípios poderiam, inclusive, fazer uma parceria com o Estado para a elaboração do projeto.

Oregino estranha que o governador Eduardo Leite e o secretário Juvir Costella tenham anunciado na última segunda-feira R$ 301 milhões para melhorias nas rodovias gaúchas, mas ao mesmo tempo o Governo alega não ter recursos para nada. Ele entende que a nova ponte deveria ser prioridade, por ser uma das mais importantes obras para o Vale do Caí. As pontes estreitas, onde só passa um veículo de cada vez, hoje são um entrave para o desenvolvimento da região. Oregino considera importante os investimentos em rodovias, que são necessários, mas critica a forma como o Vale do Caí vem sendo tratado. ”Com aproximadamente 300 mil reais já seria possível o encaminhamento do projeto da nossa ponte, possibilitando que para a construção da mesma fossem captados recursos junto ao Governo Federal”, entende. “Essa situação mostra a falta de representatividade política do Vale do Caí e o desrespeito com as necessidades de nossa região. Assim, enquanto presidente da AMVARC, peço a união de todos para nos fazer respeitar. Ainda pergunto: onde estão aqueles que vieram pedir votos, prometendo nos representar?”, concluiu Oregino Francisco.

Estudo técnico

Prefeito de Pareci Novo e presidente da AMVARC cobrou do secretário dos transportes Juvir Costella a realização do estudo técnico
– Reprodução/FN

Durante visita ao Vale do Caí, em Montenegro, na última quinta-feira, o secretário Juvir Costella foi questionado pelo prefeito Oregino Francisco, sobre a necessidade da construção de uma nova ponte sobre o rio Caí. Costella confirmou que está sendo feito um estudo técnico no Daer para verificar a viabilidade da construção da nova ponte. O estudo deverá apontar o local ideal e custos.

Conforme o presidente do Conselho Regional de Desenvolvimento (Corede) e secretário de obras de São Sebastião do Caí, Alzir Bach, é aguardada a presença dos técnicos do Daer para fazer o levantamento. E com o projeto elaborado a região deverá se mobilizar indo atrás dos recursos visando a construção da ponte. Alzir ressalta ainda a importância de que no local escolhido para a nova ponte a ligação entre a RS 122 e RS 124 não passe mais pelo centro e ruas do Caí, o que vem causando danos nas vias da cidade, além de outros prejuízos, transtornos e risco de acidentes. “Não tem mais condições”, entende, Por isso acredita que a melhor alternativa seria uma ligação entre o Matiel (Pareci), por trás do Quilombo até a Avenida Bruno Cassel. Outras alternativas também estão sendo estudadas, como na ligação por Harmonia até a RS 122 no Rio Branco. Para o prefeito de Harmonia, Lico Fink, o melhor trajeto seria em torno do Balneário Harmonia, no Morro Peixoto.

Deixe seu comentário