Mandados de busca e apreensão foram cumpridos em oito presídios gaúchos Polícia Civil/Reprodução

A operação Inferno de Dante cumpriu dois mandados contra presos dentro da Penitenciária Estadual de Montenegro e em outros sete presídios gaúchos.

As buscas aconteceram na manhã desta segunda-feira, dia 27, no combate a homicídio, tentativa de homicídio, incêndio criminoso, organização criminosa e dano ao patrimônio público. Cerca de 200 agentes cumpriram cerca de 34 ordens judiciais entre mandados de busca e de prisão em oito cidades do Estado. Na ação, que contou com o apoio do Grupamento de Operações Especiais da Polícia Civil (GOE), do Grupo de Ações Especiais da Susepe (Gaes), Brigada Militar, Corpo de Bombeiros e Secretaria de Saúde de Dom Pedrito, dezenas de telefones celulares, porções de drogas e facas foram apreendidas.

A Delegacia de Dom Pedrito deflagrou a operação porque no dia 19 de março deste ano ocorreu um motim no Presídio Estadual da cidade. Na ocasião, dezenas de detentos invadiram uma ala destinada aos presos em isolamento especial, e também a ala destinada as celas femininas do estabelecimento prisional. As investigações apontaram que o objetivo dos amotinados era matar dois presos que eram considerados inimigos do chefe de organização criminosa que domina o pavilhão onde ocorreu o motim. Detentos amontoaram colchões, cobertores, bancos e outros objetos e atearam fogo em frente às celas onde estavam as vítimas pretendidas, causando um grande incêndio no interior da galeria, ocasionando a morte de um preso, queimaduras de terceiro grau em outros dois presos, e expondo a perigo de morte outros quarenta detentos, sendo doze vítimas mulheres, todos recolhidos à ala invadida.

Através da investigação foram analisadas gravações de câmeras, feitas perícias e ouvidas mais de cem pessoas. Além de Dom Pedrito e Montenegro, foram cumpridos mandados em presídios de Bagé, Rosário do Sul, Pelotas, Caxias do Sul, São Borja e São Gabriel. Muitos dos presos estavam prestes a ganhar liberdade provisória e agora vão permanecer mais tempo na cadeia.

Deixe seu comentário