Doze cidades do Vale do Caí permanecem na bandeira laranja - Crédito: Governo do Estado

A piora em alguns indicadores, como o aumento de registros de novas internações confirmadas por Covid-19 e a proporção de casos da doença para cada 100 mil habitantes em algumas regiões, fez com que o mapa do Rio Grande do Sul se avermelhasse. A Região 8, que tem como referência Canoas e é integrada por grande parte dos municípios do Vale do Caí, entre eles São Sebastião do Caí e Montenegro, sequer ingressou com recurso. O mesmo aconteceu com a região de Novo Hamburgo.

Com isso, além do Caí e Montenegro, também Pareci Novo, Salvador do Sul, São Pedro da Serra, Portão, Tupandi e Capela de Santana voltam para a bandeira vermelha, de alto risco. Podem flexibilizar o comércio e serviços através dos protocolos de cogestão, mas isso não muda a bandeira. Inclusive impede a volta às aulas presenciais, que só pode ocorrer em municípios com bandeira laranja ou amarela por pelo menos duas semanas. O Fórum, que chegou a reabrir na última semana, agora só retorna o atendimento presencial quando voltar a bandeira laranja.

A região da Serra, que tem como referência Caxias do Sul e estão também seis cidades do Vale do Caí (Bom Princípio, Feliz, Vale Real, São Vendelino, Alto Feliz e Linha Nova), permanece na bandeira laranja, que permite flexibilizar o comércio e serviços. Outros seis municípios, que não tiveram internações ou óbitos nos últimos 14 dias, também podem continuar na bandeira laranja, entre eles Barão, Brochier, Harmonia, Maratá, São José do Sul e São José do Hortêncio.

O mapa definitivo do sistema de distanciamento controlado desta semana foi anunciado hoje, segunda-feira, feriado de 7 de setembro, pelo Governo do Estado. Das 21 regiões Covid, oito estão na bandeira vermelha e treze na laranja. Duas regiões tiveram seus pedidos de reconsideração negados e quatro foram aceitos. O mapa passa a vigorar nesta terça-feira, com validade até 14 de setembro.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here