Crédito: Todos Pela Lívia/Facebook

A luta pela vida da pequena Lívia Teles teve um capítulo decisivo na quinta-feira, dia 13. A pequena moradora de Teutônia, de um ano e dez meses de idade, recebeu a aplicação do medicamento Zolgensma, para o combate à Atrofia Muscular Espinhal (AME), em hospital da cidade Boston, nos Estados Unidos.

A corrida contra o tempo para a obtenção do valor necessário para o tratamento, superior a R$ 12 milhões, teve grande apoio nos municípios do Vale do Caí. Diversas campanhas foram desenvolvidas, como rifas, pedágios solidários e brechós, para se chegar à milionária soma necessária para bancar o tratamento médico, considerado o mais caro do mundo. Uma decisão judicial determinou que o Governo Federal também ajudasse a custear o procedimento.

Crédito: Todos Pela Lívia/Facebook

Conforme relato do pai de Lívia, Anderson Teles, em entrevista à Rádio Gaúcha nessa sexta-feira, o tratamento vem transcorrendo bem. Lívia chegou a apresentar algumas reações, como vômitos, mas essas são consideradas normais pela equipe médica. “Só o tempo dirá se ela terá uma vida normal, cada pessoa reage de uma forma ao tratamento. Mas como pais fizemos tudo que era possível para isso”, assinalou. A pequena foi diagnosticada com AME tipo 1, uma doença neurodegenerativa grave e rara que, se não for tratada adequadamente, pode levar à morte do bebê antes de completar dois anos de idade.

Recentemente, a Anvisa regulamentou o Zolgensma no Brasil. Agora, a batalha é para que esse medicamento seja inserido no Sistema Único de Saúde (SUS). A proposta já ganhou a adesão de diversos parlamentares.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here