Reunião com a presença de deputados, prefeitos e bombeiros aconteceu na Assembleia Legislativa - Crédito: Assessoria do deputado Elton Weber

Bombeiros Voluntários de 25 municípios gaúchos lotaram o Espaço de Convergência da Assembleia Legislativa na última quarta-feira, dia 2 de outubro, para acompanhar o lançamento da Frente em Defesa dos Bombeiros Voluntários do Rio Grande do Sul, ato que contou com prefeitos e vereadores de seis cidade, além de deputados estaduais. Composta por 28 deputados de 13 partidos, a Frente tem o objetivo de fortalecer os serviços prestados pela categoria, que conta hoje com 43 unidades no Estado. No Vale do Caí, existem sete unidades de Bombeiros Voluntários, incluindo São Sebastião do Caí, Bom Princípio, Feliz, São Vendelino, Harmonia, São José do Hortêncio e Salvador do Sul/São Pedro da Serra. Os bombeiros voluntários (comunitários) também são parceiros dos bombeiros militares em Montenegro e Portão. Portanto, o Vale do Caí tem uma das maiores concentrações de bombeiros voluntários do Estado.

Presidente da Frente, o deputado Elton Weber (PSB) anunciou que irá propor emenda ao Orçamento do Estado de 2020 para apoiar as corporações nos municípios. Atualmente, são 1.250 voluntários realizando o serviço no Rio Grande do Sul. “Os bombeiros voluntários precisam ser mais valorizados no sentido de nós termos orçamentariamente como apoiar essa atividade. Nós precisamos que o Estado se some as prefeituras e sociedade civil e também ajude”, sugere Weber.

Além de recursos para aquisição de caminhões, equipamentos e ferramentas, a categoria busca segurança jurídica para continuar atuando em prol da comunidade. De acordo com o presidente da Voluntersul, Edison Edu Rother é preciso criar uma lei estadual que regulamente a corporação e suas atividades. A primeira atividade da Frente deve ser uma audiência pública para tratar do assunto.

Segundo Rother, recentemente a atuação dos bombeiros voluntários foi limitada a municípios com população de até 15 mil habitantes por uma medida administrativa. “O governo estadual revogou o decreto que dava, mesmo que timidamente, um norte a nossa entidade, com a extinção e a subsequente publicação da portaria que restringiu nossa atuação ficamos um pouco a deriva”, lamentou.

Rother destaca que se o Estado tivesse que pagar pelos serviços de 1.250 bombeiros voluntários a despesa chegaria a R$ 1,4 milhão ao mês, considerando o salário mínimo regional.

Presente ao lançamento, o prefeito de São Sebastião do Cai, Clóvis Duarte, deu seu relato sobre a importância do serviço mantido por convênio com a prefeitura há 24 anos. “Com muito orgulho venho me manifestar a favor deles. É a parceria perfeita, para teres uma ideia no último ano adquirimos quatro caminhões e uma plataforma para atendimento em edifícios, que é a única do Rio Grande do Sul”, destacou Clóvis Duarte.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here