A partir de terça-feira as lojas voltam a fechar em 14 cidades do Vale do Caí - Crédito: Guilherme Baptista/FN

O governador Eduardo Leite deve anunciar nesta quarta-feira, dia 15, medidas de flexibilização do comércio e serviços.

Ontem o governador analisou os resultados de uma pesquisa, realizada pela Universidade Federal de Pelotas, sobre a prevalência do coronavírus. Após o levantamento houve uma reunião com integrantes do Gabinete de Crise para definir quais medidas serão anunciadas hoje e aplicadas a partir de amanhã. Nesta quarta-feira encerra o prazo do decreto que em 1º de abril fechou o comércio e serviços não essenciais em todos os municípios gaúchos. No Vale do Caí na semana anterior ao decreto estadual o comércio chegou a abrir, mas depois os municípios tiveram de se adequar as determinações estaduais. Conforme o presidente da Associação dos Municípios do Vale do Rio Caí (AMVARC), o prefeito de Harmonia, Carlos Alberto Fink (Lico), a partir do movimento do governador as Prefeituras deverão alterar seus decretos, seguindo a orientação da Federação das Associações dos Municípios do Estado (Famurs).

Desde o dia 9 de abril já houve uma certa flexibilização, permitindo o funcionamento de restaurantes, lancherias, salões de beleza e lojas de chocolate, dependendo da autorização dos municípios. Também foi incentivada tele-entrega e tele-busca. Após anúncio previsto para hoje, a partir de amanhã, quinta-feira, deve ter uma maior flexibilização. O governador sugere que as restrições passem a ser regionais, conforme a prevalência do vírus e a ocupação de leitos de UTI. Existe uma pressão muito grande por parte de entidades empresariais devido aos prejuízos financeiros, inclusive gerando desemprego.

A expectativa é de que tenha uma maior flexibilização do comércio, mas com restrições e adoções de distanciamento e medidas de higiene e limpeza. Também pode ocorrer, por parte do governador, a prorrogação do decreto estadual até 30 de abril, mas com os municípios podendo flexibilizar a abertura do comércio e serviços conforme os casos e ocupação de leitos na região. No Vale do Caí, por exemplo, a situação é tranqüila até o momento. A região tem 8 casos confirmados, nenhum internado em UTI. Mas vários casos suspeitos, inclusive de pacientes internados, aguardam resultados de exames de laboratório.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here