Senador Lasier, diretora Kellen e prefeito Oregino participaram da reunião de ontem - Crédito: Prefeitura de Pareci Novo

Uma comitiva de lideranças do Vale do Caí, juntamente com o senador Lasier Martins e o deputado Tiago Simon, esteve reunida ontem, sexta-feira, dia 22, com o secretário de articulação e apoio aos municípios, Rodrigo Lorenzoni.

O prefeito de Pareci Novo, Oregino José Francisco, que ontem, sexta-feira, foi eleito presidente da Associação dos Municípios do Vale do Rio Caí (AMVARC), destacou a importância de se obter recursos para efetivar o projeto visando reduzir o impacto das enchentes na região, principalmente em municípios como São Sebastião do Caí, Montenegro, Capela de Santana, Bom Princípio e Pareci Novo.

Reunião ontem ocorreu em Porto Alegre e projeto deverá ser encaminhado para Brasília visando obter recursos
– Crédito: Prefeitura de Pareci Novo

O senador Lasier, que viveu a sua infância e adolescência em Montenegro, onde iniciou a carreira como comunicador, conhece bem a situação. Ele lembrou que nos últimos 60 anos, pelo menos 25 grandes cheias provocaram prejuízos significativos no Vale do Caí. A diretora de regularização fundiária do Estado, a montenegrina Kellen Mattos, que foi secretária de planejamento em Pareci Novo e Montenegro, e que tem sua família no bairro Ferroviário, um dos mais atingidos pelas cheias, também participou da reunião. Ela recordou as inúmeras tentativas feitas nos últimos anos, através de mobilizações e reuniões, que até agora não deram em nada. Destacou ainda que existem recursos federais em mais de um ministério. Lasier também lamentou que o Governo Federal prometeu recursos, mas não liberou. “Conheço a região. Sei que todo ano é uma preocupação dos moradores, que correm o risco de perder tudo o que possuem com as chuvas. É preciso prevenir. O poder público não pode mais ser omisso, especialmente quando é possível agir na prevenção. Temos que aprender com o que vimos ocorrer a poucas semanas em São Paulo e no Rio de Janeiro”, disse o senador.

Rodrigo Lorenzoni comprometeu-se com a causa na luta pela justa demanda. Eles irão a Brasília nos próximos dias para reuniões com o ministro chefe da Casa Civil, Onix Lorenzoni, e no Ministério do Desenvolvimento Regional. “Vamos seguir trabalhando por recursos do governo federal para a elaboração do projeto executivo que apontará as melhores soluções para o velho problema. Isso já foi feito nas bacias dos rios dos Sinos, Gravataí e Jacuí. É hora de fazermos também no rio Caí”, declarou Lasier.

Segundo o superintendente da Metroplan, Pedro Bisch Neto, que participou da reunião, se nada for feito, a expectativa é de cerca de R$ 20 bilhões de prejuízo em todo o Vale do Caí nos próximos 30 anos. Ele mostrou o estudo realizado anteriormente pela Metroplan e comprometeu-se em dez dias ter um novo descritivo adequado e atual para ser encaminhado aos Ministérios em Brasília. Também participaram da reunião o secretário-adjunto de Obras, Saneamento e Habitação, Ervino Deon, o chefe da Defesa Civil, Coronel Rodrigo, o diretor da Metroplan, Írio Meneghetti, entre outras lideranças.

 

Deixe seu comentário