Moradores limpavam a moradia quando ela começou a desabar e casal conseguiu sair junto com seu bebê Crédito: Defesa Civil - Crédito: Defesa Civil

A chuva e o risco do rio Caí voltar a subir, mesmo que não tenha mais enchente, acabou atrasando a volta das famílias para suas casas.

Rio Caí já retornou ao seu leito, mas a chuva atrasou o retorno das famílias para casa
– Crédito: Prefeitura do Caí

Apesar da chuva deste sábado, dia 11, o rio continuou baixando. Pela régua da CPRM, em São Sebastião do Caí, onde o rio superou o 14 metros na quarta-feira, já recuou mais de 6 metros e às 23 horas de sábado estava em 7m86. Já saiu da cota de inundação dos 10 metros e se aproxima também de deixar a cota de alerta, ficando então na de atenção. Já em Montenegro, onde o rio Caí superou os 8 metros na quinta-feira, às 23h30 deste sábado deixou a cota de inundação dos 6 metros e com 5m98cm agora está na cota de alerta, tendo recuado mais de 2 metros.

Ainda tem a previsão de mais chuva para este domingo, dia 12, inclusive num volume maior, que

Retorno na próxima semana

Em São Sebastião do Caí, as famílias que tiveram de deixar suas casas durante a enchente do Rio Caí permanecem menos até este domingo abrigadas no ginásio municipal e no salão da Igreja Católica do bairro Rio Branco. Apesar de todo o trabalho de limpeza das ruas alagadas pela cheia e de recolhimento do lixo produzido pelas inundações feito desde quinta-feira, a chuva que atinge a região adiou para segunda-feira o retorno para casa dos desabrigados.
Com isso, a prefeitura, a Assistência Social e Defesa Civil Municipal permanecem prestando todo o apoio necessário para essas pessoas. “As famílias receberam kits de higiene, com máscaras e álcool gel, além de assistência de saúde e alimentação. Estamos inclusive reforçando as refeições entregues nos dois abrigos. Até sexta-feira as famílias recebiam almoço e pão e leite para um lanche à noite e café da manhã. Vamos manter esse lanche, mas neste sábado e domingo entregaremos também refeições completas para a janta”, afirma o prefeito Clóvis Duarte.

Famílias que estão em abrigo recebem assistência do município
– Crédito: Prefeitura

O Município de São Sebastião do Caí decretou na sexta-feira situação de emergência e encaminhou ao governo federal a documentação para a homologação federal do decreto. A Administração Municipal também está organizando cestas básicas e kits de produtos de higiene e limpeza para auxiliar os desabrigados e demais pessoas que tiveram casas atingidas no duo trabalho de limpeza e retomada de suas vidas. As cerca de 50 famílias alojadas nos dois abrigos organizados pela Prefeitura de São Sebastião do Caí receberam na manhã deste sábado, dia 11, além do suporte do Município, doações de pessoas de vários municípios que demonstram a solidariedade dos gaúchos.

Entre as famílias desabrigadas está a da moradora do bairro Navegantes Veleda Sarmento, 57 anos. “Estou aqui com minha filha grávida e três netos. Graças a Deus estamos recebendo um teto, mesmo que improvisado, e temos também o que comer”, disse dona Veleda ao retirar o almoço para sua família no ginásio do bairro Rio Branco. “Quero voltar para minha casa. A situação é difícil, mas vamos lutar e recomeçar. Essa é a nossa vida, vamos em frente”, completou ela. Já a dona de casa Michele Nogueira Knapp, 23 anos, está abrigada com o marido e dois filhos pequenos, de 1 e 6 anos, no salão da Igreja Católica do bairro. “A coisa não é fácil, mas a prefeitura está entregando a alimentação e também nos deu máscara e álcool gel para podermos ficar aqui até conseguirmos voltar para casa”, disse.

Casa desaba

Em Montenegro, conforme a Defesa Civil as famílias desabrigadas também vão permanecer no abrigo, situado na Escola Municipal Walter Bellian, até pelo menos segunda-feira, quando será avaliada a situação. Os desabrigados estão recebendo toda a assistência do município.

Neste sábado também foi feita uma ação no bairro Industrial, que foi o mais afetado pela enchente. Foram distribuídas cestas básicas para as famílias mais necessitadas.

Piso cedeu numa casa do bairro Industrial e quase ocorreu uma tragédia
– Crédito: Defesa Civil

Também está sendo prestada assistência para uma família da Rua Adelmo Boos, do bairro Industrial. Os moradores chegaram a voltar para casa, mas quando estavam limpando a moradia começou a desabar. Ninguém se machucou, mas o susto foi grande. Conforme relata uma moradora, após três dias fora de casa por causa da enchente, ao retornar ouviram um barulho e repentinamente foi tudo para o chão. O assoalho cedeu e móveis caíram. Ela ficou presa no meio dos móveis, mas foi retirada pelo marido. E o filho foi retirado por um amigo que estava mais perto do berço da criança. A família agora precisa de ajuda. Foi levada para o abrigo da Prefeitura. Quem puder ajudar pode entrar em contato pelos telefones 99691 0285 ou 99586 1964 com Schirlei Silva.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here