Municípios receberam kits de testes rápidos que estão sendo aplicados - Divulgação/Feevale

A aplicação de testes rápidos está fazendo o número de casos confirmados de coronavírus aumentar na região. Isso não deve causar pânico na população. A grande maioria dos pacientes nem necessita de internação, pois têm sintomas leves, podendo se recuperar em casa, no isolamento domiciliar, em quarentena para evitar a transmissão.

Os municípios receberam kits de testes rápidos do Ministério da Saúde. O Consórcio Intermunicipal de Saúde do Vale do Caí (CIS/Caí) também firmou convênio com a Universidade Feevale, que vai fornecer testes rápidos para municípios da região. E alguns municípios também estão comprando testes. As próprias farmácias devem em breve passar a vender testes rápidos. Por isso o número de casos confirmados já aumentou consideravelmente nos últimos dias na região. Isso é importante porque vai fazer com que essas pessoas, que tiverem casos confirmados, fiquem em isolamento, para se curarem e evitar a transmissão.

Antes só eram feitos testes em pacientes internados e o resultado demorava alguns dias, pois o material coletado era enviado ao Laboratório Central do Estado (Lacen) em Porto Alegre, que recebe a demanda de todo o Estado. Com os testes rápidos, o resultado é imediato. Mas não tem a mesma eficácia do exame laboratorial. Conforme informações, os testes rápidos são mais confiáveis quando aplicados entre o sétimo e o décimo dia após o surgimento dos sintomas. Antes disso pode provocar um falso-negativo, necessitando um novo exame. Por isso os testes rápidos têm sido aplicados após a fase aguda da doença, quando os pacientes já não têm mais sintomas e podem ser considerados curados.

O importante é que a região, até o momento, não registrou nenhuma morte em razão do coronavírus. Poucos foram os pacientes internados que tiveram casos confirmados. E todos que deram positivo para Covid-19, inclusive que estiveram em estado grave em UTIs, foram recuperados e já estão curados. Isso reforça a necessidade das medidas de prevenção, como higienização e limpeza, uso de máscara, distanciamento e procurar ficar em casa, para que não ocorram muitos casos graves ao mesmo tempo, permitindo que os hospitais tenham leitos e equipamentos suficientes para poder recuperar os pacientes.

Casos confirmados já aumentaram

Em razão dos testes rápidos, aumentou consideravelmente nesta semana o número de casos confirmados na região.

Em São Sebastião do Caí, por exemplo, dobrou o número de casos confirmados. Mais três casos foram confirmados, de um homem e uma mulher de 23 anos, e de um homem de 58 anos, todos com sintomas leves e em isolamento domiciliar. Bom Princípio, que até quarta-feira não tinha nenhum caso confirmado, teve dois entre quarta e quinta-feira, em função dos testes rápidos. Também os pacientes estão bem e se recuperando em casa. São Vendelino também registrou o seu primeiro caso.

No Vale do Caí chegou a 26 casos confirmados, sendo 6 no Caí, 5 em Harmonia, 4 em Montenegro, 3 em Maratá, 2 na Feliz, 2 em Bom Princípio e um em São Vendelino, Pareci Novo, Salvador do Sul e Tupandi. O número de mortes no Rio Grande do Sul chegou ontem a 58, com mais de 1,5 mil casos confirmados. No Brasil são quase 6 mil mortes e mais de 85 mil casos confirmados.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here