Votação ocorreu entre 4 a 6 de setembro, quando foram escolhidas três demandas, da agricultura e turismo - Reprodução/FN

Foi fraca a participação na Consulta Popular deste ano. Apenas 3.970 eleitores do Vale do Caí votaram entre quarta-feira e sexta-feira do ano passado, número muito inferior aos 23.262 do ano passado.

A participação foi tão baixa que em alguns municípios não passou de 1% do eleitorado, como foi o caso de Bom Princípio (0,92%), Feliz (0,5%), São José do Hortêncio (0,09%), São José do Sul (0,28%), São Sebastião do Caí (0,51%) e São Vendelino (0,61%). Em Hortêncio apenas 3 pessoas votaram, num município com 3.314 eleitores. Já no Caí, que tem 15.341 eleitores, somente 79 votaram. Em Montenegro, que tem o maior eleitorado da região, 47.189 eleitores, 677 participaram (1,43%). As maiores participações foram em Pareci Novo com 568 eleitores (18,67%) e Maratá com 211 votantes (9,68%).

Conforme o presidente do Conselho Regional de Desenvolvimento (Corede) do Vale do Caí, Alzir Bach, a participação foi baixa em todo o Estado. O principal motivo para a fraca participação seria o baixo valor destinado pelo Governo do Estado para a região, com R$ 685.714, o que representa apenas 25% do disponibilizado no ano passado, que foi de R$ 2,3 milhões. Entre as quatro demandas que constavam na cédula, a mais votada foi ampliação da produção orgânica regional, com 1.722 votos, que vai receber R$ 229 mil. Os outros dois projetos escolhidos, que vão receber R$ 228 mil cada, são da área do turismo – organização do cluster turístico regional e consolidação dos produtos turísticos existentes na região, que receberam, respectivamente, 805 e 1.181 votos.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here