Um total de 14 municípios do Vale do Caí recorreram para não entrar na bandeira vermelha, mas não houve reversão - Crédito: Governo do Estado

Estava prevista para o início da tarde de hoje, segunda-feira, às 14h, uma live do governador Eduardo Leite, para falar sobre os recursos de municípios que contestam as bandeiras com mais restrições ao comércio e serviços, anunciadas no último sábado. Entretanto a manifestação pelo facebook foi adiada para as 16h, já que são 30 recursos para serem analisados. E após foi remarcado para 17 horas. No Vale do Caí, 14 municípios, que estão vinculados as regiões de Canoas e Novo Hamburgo, passaram para a bandeira vermelha, de risco alto. Já os seis municípios do Vale do Caí vinculados a Caxias do Sul voltaram para a bandeira laranja, após uma semana na vermelha.

A divulgação das novas bandeiras do sistema de distanciamento social controlado aconteceu no último sábado, dia 20. Os municípios com bandeira vermelha tiveram um prazo até o início da manhã desta segunda-feira, às 8h, para ingressarem com recurso. Com isso, a atualização no mapa será válida somente a partir de amanhã, terça-feira. A partir desta semana a coleta de dados será antecipada para quinta-feira, antecipando o cronograma de divulgação e ampliando o prazo de recurso. O cálculo e divulgação passam a ocorrer nas sextas-feiras, tendo o prazo para recursos dos municípios até segunda-feira e após a análise das alegações pelo Gabinete de Crise, na parte da tarde acontece à divulgação do mapa com as bandeiras que passam a vigorar a partir de terça-feira.

A Associação dos Municípios do Vale do Rio Caí (Amvarc), após reunião online dos prefeitos atingidos pela nova bandeira vermelha, realizada ontem, decidiu entrar com um recurso coletivo. Uma das propostas é criar uma microrregião do Vale do Caí, já que a região apresenta baixos índices de internação e poucas mortes por coronavírus. Outra justificativa é de que os municípios estão providenciando o aumento de leitos de UTI na região.

Nos municípios em bandeira vermelha só podem funcionar atividades essenciais. Caso o recurso não seja aceito pelo Governo, será o caso de Barão, Brochier, Capela de Santana, Harmonia, Maratá, Montenegro, Pareci Novo, Salvador do Sul, São Pedro da Serra, São José do Sul, São Sebastião do Caí e Tupandi, que estão vinculados a Canoas. São José do Hortêncio e Portão, que estão no agrupamento do Vale do Sinos, junto com Novo Hamburgo, também passam para a bandeira vermelha. Os outros seis municípios do Vale do Caí, vinculados a Caxias do Sul, poderão novamente flexibilixar o comércio e serviços em razão da redução nas internações e aumento do número de leitos. E com isso podem voltar a abrir lojas e serviços que antes estavam impedidos de funcionar, desde que obedecendo as limitações de uso de espaço, distanciamento, higiene, limpeza e o uso obrigatório de máscara. É o caso de Bom Princípio, Feliz, Vale Real, São Vendelino, Alto Feliz e Linha Nova.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here