Grupo Coco de Tebei se apresenta na tarde desta quarta-feira - Divulgação/FN

Nesta quarta-feira, 5 de dezembro, o projeto Sonora Brasil Sesc traz a Montenegro o grupo pernambucano Coco de Tebei. A apresentação acontece às 15h, na Estação Cultura (Rua Osvaldo Aranha, 2215). A entrada é franca e para esta realização o Sesc conta com o apoio da Prefeitura de Montenegro.

Esse tipo de Coco é praticado por um grupo de agricultores e tecelões da comunidade Olho D’Agua do Bruno, na cidade de Tacaratu, Pernambuco. No espetáculo, as músicas são cantadas por mulheres e dançadas por casais. Não utiliza instrumentos e a base rítmica é marcada pela pisada dos dançadores. O grupo é formado pelas cantadeiras Maria do Carmo de Jesus, Nivalda Rosa Gomes do Nascimento e Maria Nazaré Nunes dos Santos e pelos dançadores José Lira dos Santos e Janaína Maria dos Santos, Edna Nivalda do Nascimento Silva e Agnaldo José da Silva, além de Genivaldo Lira dos Santos e Edilane dos Santos. A sonoridade que resulta do canto somado ao ritmo da pisada remete, de certa forma, a uma ritualística indígena, que se caracteriza pelo contraste de timbre entre o metal das vozes femininas e o som seco da pisada no chão, e pela ausência de nuances em cada um dos elementos.

Sonora Brasil 

O Sonora Brasil cumpre a missão de difundir o trabalho de artistas que se dedicam à construção de uma obra não comercial. A formação de plateia é o que se busca por meio do contato do público com a qualidade e a diversidade da música, estimulando o olhar crítico sobre a produção e os mecanismos de difusão da música no país. O projeto busca despertar um olhar crítico sobre a produção e sobre os mecanismos de difusão da música no país, incentivando novas práticas e novos hábitos de apreciação musical, promovendo apresentações de caráter essencialmente acústico, que valorizam a autenticidade sonora das obras e de seus intérpretes. Promovido pelo Sesc há 20 anos, já realizou 5.726 apresentações de 85 grupos, em mais de 150 cidades brasileiras, com um alcance de 600 mil espectadores.

Deixe seu comentário