Festa será neste domingo na Sociedade Santa Cecília - Reprodução/FN

A Escola Estadual de Ensino Médico São José do Maratá, de São José do Sul, está completando 60 anos neste sábado, 15 de junho. Situada na margem da BR 470, oferece ensino fundamental e médio para 146 alunos, com 15 professores e mais 5 funcionários.

As conquistas destas seis décadas serão comemoradas com festa amanhã, domingo, dia 16. Professores, alunos e comunidade estão mobilizados para uma grande comemoração que será realizada na Sociedade Santa Cecília, bem perto do colégio. A partir das 11h30 será servido almoço, que já está com cartões à venda e também terá no local. Outras atrações serão exposição de fotos e curta da história da escola, apresentações artísticas de dança e canto coral, banda escolar, sorteio de brindes, anúncio da Garotinha e Garotinho, além da animação do grupo Ômega 3.

Trajetória de Ensino, Carinho e Dedicação

A Escola São José do Maratá  completa 60 anos em 2019. O Educandário situado às margens da BR 470, Km 280, em São José do Maratá, zona rural do Município de São José do Sul, é um dos poucos colegiados de Ensino Médio no campo. As bases da Escola foram lançadas em 1958, quando ainda a localidade era um Distrito de Montenegro. Conforme depoimento de Hevaldo Hartmann, o professor João Egídio Finkler, orientador do Ensino Municipal de Montenegro, entre os anos 1954 a 1958, veio com Padre. Alberto Träsel, vigário de Montenegro, mobilizou a comunidade de São José do Maratá, quanto a possibilidade de construção da Escola. O governo, na época, destinava recursos para a construção de quatro novas instituições na região. Neste sentido, certa tarde reuniu-se o professor Finlkler, o professor Lutckmeier, os senhores Aloisio Kleinschimitt, Reinaldo Brandt, Aloisio Ernzen, Hevaldo Hartmann e membros da comunidade para tratar do assunto.

Exposição de fotos vai contar a história do colégio
– Reprodução/FN

O início do ano letivo de 1959 foi na Casa Paroquial com professores da rede municipal. Em 15 de junho de 1959 foi oficialmente legitimada a Escola com decreto publicado no Diário Oficial que criava a Escola Rural Reunida de São José do Maratá. O Educandário começou a funcionar na nova sede em 5 de agosto do mesmo ano, com professores contratados pelo Estado. Conforme registros da Escola, os professores regentes no início das atividades foram a Senhora Horacilda Nascimento e o Senhor Helmüth Lutckmeier. A professora Horacilda permaneceu por um período breve, assumindo o compromisso pela Instituição o Professor Lutckmeier. A Escola possuía trinta e dois estudantes no 1º ano, oito no 2º ano, quatro no 3º, dois estudantes no 4º e dois no 5º ano.

Em 13 de agosto de 1969, a Escola foi classificada como Escola Rural de São José do Maratá. Depois de alguns anos o prédio se tornou pequeno e devido a rachaduras, o educandário foi demolido e no seu lugar foi construído, na década de 1970, um novo prédio, com auxílio da comunidade, pais, alunos e com aporte da Prefeitura de Montenegro. Enquanto as obras eram executadas, os alunos foram alocados no antigo Salão Kirst, onde hoje se encontra a ¨Venda¨ , de Lirio Lário Kirst e também da professora Nair. Uma portaria de 5 de dezembro de 1979, reorganizou a natureza da instituição de Escola Rural para Escola Estadual de Primeiro Grau Incompleto São José do Maratá. Outra alteração ocorreu em 1º de outubro de 1985, com a publicação de decreto ampliando a oferta para a 6ª série a partir de 1986. Em 07 de Agosto de 1987, através de portaria, a Secretaria da Educação autorizou o funcionamento da 7ª e 8ª séries e a alteração de designação para Escola Estadual de Primeiro Grau São José do Maratá. Em 15 de Março de 2007  foi concedido Parecer Favorável para implantação do Ensino Médio, iniciando em 2008 a primeira turma.

Muitas pessoas traçaram uma história de vínculo e dedicação à Escola. Uma das personalidades marcantes foi o Professor Arno Leopoldo Mombach, que esteve por 25 anos como gestor da Escola, sendo um dos idealizadores do Café Colonial, realizado em vários anos, no Salão Kirst, angariando recursos para ampliação da estrutura da Escola.

Atualmente, o Colegiado é uma referência de educação pública da região. Entre os princípios da instituição está  o acesso ao conhecimento e a valorização do contexto rural com conhecimentos tecnológicos, de entendimento das relações sociais e a consciência de valorização do meio ambiente. A escola oferta o Ensino Fundamental e o Ensino Médio, atendendo 146 alunos. Os estudantes ampliam  os saberes, com projetos de pesquisa que são desenvolvidos ao longo do ano letivo e a culminância acontece no Dia da Escola do Campo. Este ano será realizado em 4 de outubro.  Além disso, a Escola disponibiliza aos estudantes oficinas de Música, Teatro e Esporte.  O quadro funcional é composto pelo Gestor Professor Julio R. Hoerlle, Vice-diretora Professora Patrícia Renner, quinze professores e cinco funcionárias.  A estrutura da escola contempla Laboratório de Ciências, Biblioteca, Sala Digital e Sala de Recursos Multifuncional.

Deixe seu comentário