Desafio solidário: Luciano Enick correu 141,2 quilômetros numa esteira enquanto colegas arrecadaram os alimentos para famílias carentes - Reprodução/FN

O montenegrino Luciano Enick, de 49 anos, é um grande exemplo de superação. Depois de perder 80 quilos, superando a obesidade e virar corredor de maratona, na última semana Luciano realizou um desafio de correr por 24 horas numa esteira, em casa, visando arrecadar alimentos. Colegas de seu grupo de corrida tinham o desafio de arrecadar mais alimentos do que a quilometragem total percorrida pelo motenegrino. O resultado foi uma arrecadação que totalizou uma tonelada de alimentos destinada para famílias carentes de Montenegro que enfrentam dificuldades em tempos de pandemia do coronavírus.

Luciano Enick chegou a pesar 153 quilos, mas com dieta e esporte superou a obesidade e virou um atleta
– Reprodução/FN

Desde a infância Luciano sofria com a obesidade. Aos 9 anos já pesava 90 quilos e aos 15 chegou aos 150. “Várias portas se fecharam para mim devido à obesidade. Sempre foi uma dificuldade. Lembro que em restaurantes minha preocupação era encontrar uma cadeira que não quebrasse. Tentava disfarçar e ficava de pé. Isso me acompanhou a vida inteira. Tentei dietas e receitas milagrosas”, recorda. “Depois dos 40 anos começaram a aparecer os problemas de saúde, resultado de uma vida desregrada. A ficha caiu quando meu filho Israel, então com 6 anos, disse que eu iria morrer se não fizesse alguma coisa. Foi então que busquei uma transformação de vida, com alimentação natural e prática saudável de exercícios”, conta, destacando o apoio da esposa Tatiana, filho, treinadora e nutricionista Raíssa Joner, demais familiares e amigos. Luciano pegou gosto pela corrida. E o seu corpo foi respondendo.

Correndo com o filho, que foi determinante na sua transformação
– Reprodução/FN

A transformação foi tão grande que Luciano perdeu 80 quilos. Em 1º de janeiro de 2018 pesava 153 quilos. Foi quando virou vegetariano e passou a se alimentar de frutas, proteína de soja, saladas e farinha integral. Das caminhadas e atividades aeróbicas, inclusive na piscina, passou para as corridas. Ainda em 2018, quando já havia perdido 70 quilos, em outubro participou da Rústica do Hospital Montenegro, num trajeto de 5 quilômetros. E na virada do mesmo ano participou da São Silvestre em São Paulo correndo 16 quilômetros. Foi só o começo. Vieram maratonas maiores, como em Camboriú e Florianópolis, ambas em Santa Catarina, chegando a correr 42 quilômetros. Já em janeiro deste ano participou da tradicional travessia Torres-Tramandaí, com 82 quilômetros. “Ganhei outra visão de vida. Tornei-me um ultramaratonista. Mas é resultado de uma luta diária. Todos os dias preciso me superar, chegando além dos meus limites”, afirma.

Em tempos de pandemia, Luciano não está treinando nas ruas e sim em sua própria casa. E decidiu então desafiar os colegas do grupo de corrida Well Runners, coordenado pela sua treinadora Raíssa Joner. “Desafiei que iria correr durante 24 horas na esteira e teriam que juntar alimentos mais do que os quilômetros que eu corresse. Todos se mobilizaram. Corri 141,2 quilômetros, motivado pelos colegas que arrecadaram quase uma tonelada de alimentos e materiais de limpeza”, comemora. As doações, através da Assistência Social do município, serão distribuídas para as famílias necessitadas. “O mais importante é a gente fazer a nossa parte. Temos que ficar em casa, evitando o contato social. Isso vai passar. Só saio para o estritamente necessário, já que devido aos treinamentos fico com a imunidade baixa”, declara, citando que adotou os treinamentos em casa, na esteira, e nos vídeos de funcional que recebe da treinadora.

Com o apoio da treinadora Raíssa Joner, Luciano correu 141,2 quilômetros e colegas arrecadaram quase meia tonelada de alimentos
– Reprodução/FN

O próximo desafio de Luciano Enick é a Cassino Ultra Race, prevista para setembro em Rio Grande, na maior e mais difícil ultra maratona de praia do mundo, com 230 quilômetros em 54 horas na areia, até o Chuí. “Serão duas noites sem dormir, direto, com mochila nas costas e enfrentando vento”, diz. Luciano deverá ser o primeiro montenegrino e corredor da região a participar da ultra maratona. “Estou treinando para conseguir trazer uma medalha para a região”, espera o ultramaratonista que desde o mês passado também apresenta o programa Vida e Saúde na JPTV. E a história de Luciano, como exemplo de superação da obesidade através do esporte e pelo gesto de solidariedade no desafio para arrecadação de alimentos, também foi destaque em reportagem na RBS TV.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here