Esposa Ledamaris e filho dela, Yago, foram presos, acusados da morte do tenente Contreira - Facebook/Reprodução

Em depoimento, Ledamaris da Silva Contreira, de 42 anos, negou participação na morte do marido, o comandante do Corpo de Bombeiros de Montenegro, tenente Glaiton da Silva Contreira, 52 anos, assassinado em Sapiranga no último dia 25 de outubro. Alegou que estava dormindo quando o tenente foi morto pelo filho dela, o qual confessou a autoria do crime e negou envolvimento da mãe. Na Delegacia de Sapiranga, a mulher preferiu não se manifestar, alegando que só falaria na Justiça. Mas foi presa na última segunda-feira e juntamente com o filho foi indiciada por homicídio qualificado. Segundo a Polícia, não demonstrou qualquer sentimento com relação ao filho Yago Rudinei da Silva Machado, de 26 anos, que está preso e que relatou como matou o padrasto.

Viúva foi presa na última segunda-feira
– Crédito: Melissa Costa/Grupo Repercussão

O delegado Fernando Pires Branco, de Sapiranga, em entrevista para a Rádio América hoje, destacou que houve contradições nos depoimentos da viúva e do enteado do tenente. Para o delegado, era estranho que o tenente não tivesse esboçado nenhum tipo de reação. Diz que a própria mãe e um irmão dela relataram o envolvimento da viúva no crime, além de uma terceira testemunha, que viu o que aconteceu na parte de fora da casa. Também mensagens de whatsApp e a compra de um estilete indicavam a participação direta de Ledamaris.

Para o delegado, o principal motivo seria patrimonial, em razão da casa do casal, mas ele acredita também em crime passional, por ela não aceitar a separação. A Polícia suspeita que o tenente teria sido dopado dentro de sua casa, pela viúva, e depois levado em seu carro até a divisa com Campo Bom, onde foi morto pelo enteado com cortes no pescoço.

Mãe e filho não tinham antecedentes criminais e até participavam juntos de ações beneficentes. Mas chamou à atenção a frieza deles na execução desse bárbaro crime. Após matar o padrasto, o enteado postou fotos com ele nas redes sociais comunicando o desaparecimento e pedindo ajuda para encontrar o tenente que ele chamava de “pai”. E a viúva foi ao velório e sepultamento em Rio Grande, terra natal do tenente, recebendo as condolências de colegas dele, familiares e amigos, sendo que depois se refugiou com o filho do casal, de 10 anos, num sítio da área rural de Viamão, onde foi presa. A criança está sob cuidados de familiares, já que o pai foi morto, e a mãe e o irmão materno estão presos.

Comandante dos Bombeiros de Montenegro, o Tenente Glaiton da Silva Contreira, de 52 anos, foi morto em 25 de outubro em Sapiranga
– Reprodução/FN

O tenente Contreira estava no comando do quartel dos bombeiros militares de Montenegro faz cerca de um ano e meio, sendo bastante elogiado e tendo obtido várias conquistas, principalmente nas melhorias das instalações, veículos e equipamentos para melhor atender a comunidade. Ele comandava também o quartel de Taquari e antes atuou nos bombeiros de Sapiranga e Taquara.

Outras notícias repercutem no cenário estadual e nacional. A Anvisa autorizou a retomada dos testes da vacina Coronavac, da China, que tinham sido suspensos. E a Rússia informa que a sua vacina contra o coronavírus tem 92% de eficácia e que deve iniciar a vacinação em massa nas próximas semanas. O ex-prefeito de Porto Alegre, José Fortunatti, renunciou hoje da sua candidatura na disputa da Prefeitura da capital gaúcha, após o TRE ter indeferido a candidatura de seu vice na chapa, André Cecchini.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here