Além dos três caminhões queimados, oficina (foto) e almoxarifado da empresa também foram atingidos - Crédito: Komac/Reprodução

Em meio à preocupação com o coronavírus, causou surpresa o atentado contra os caminhões que fazem a coleta do lixo em Montenegro. O caso, inclusive, virou notícia estadual. E segue o mistério sobre os autores do crime, quem teria encomendado o serviço e o motivo. A Polícia Civil informou que prosseguem as investigações, mas não revelou detalhes para não prejudicar a apuração. As imagens de câmeras de segurança, que mostraram pelo menos dois indivíduos incendiando um dos caminhões, além do resultado da perícia, levantamentos e depoimentos, fazem parte do trabalho de investigação.

Um dos caminhões, antes e depois do incêndio
– Crédito: Komac/Reprodução

O incêndio criminoso ocorreu no início da madrugada da última quarta-feira, dia 15, logo depois da meia-noite, no pátio da empresa Komac Rental, situado na Rua Egon Polking, do bairro São Paulo, perto da Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA), na Grande Timbaúva. As filmagens, que estão sendo analisadas pela Polícia Civil, mostram dois indivíduos encapuzados jogando um líquido inflamável e em seguida uma tocha em chamas para dentro da cabine de um dos caminhões. Logo depois eles saem correndo.

Três dos cinco caminhões da empresa foram consumidos pelo fogo
– Komac/Reprodução

Três caminhões foram incendiados e ficaram destruídos. O incêndio só não foi maior porque um morador estranhou o barulho e um motorista da empresa, que mora na mesma rua. conseguiu retirar dois caminhões, os quais tiveram pequenos danos. Os bombeiros chegaram em seguida e apagaram as chamas, mas três dos cinco caminhões da frota da empresa foram destruídos pelo fogo. Um Volkswagen Constelation 1725, Mercedes Benz 710 e Ford Cargo 815, tiveram perda total. Os caminhões, com sete anos de uso, não tem seguro.

“Está nas mãos da Polícia”

Para a gerente da Komac Rental, a finalidade dos criminosos era de prejudicar o trabalho da empresa. “Quem quer que tenha feito isso, fez com a intenção de que não tivéssemos como trabalhar no dia seguinte. Que o município ficasse um caos sem coleta”, acredita, dizendo que existem suspeitas, mas nada confirmado. “Quem fez recebeu para fazer isso. Mas não queremos acusar ninguém porque tem muitas possibilidades. Estamos deixando na mão da polícia a investigação”, completa.

Caminhão da coleta seletiva também foi destruído pelo fogo
– Crédito: Komac/Reprodução

A gerente ressalta o empenho dos funcionários, que mesmo com apenas dois caminhões que sobraram, procuraram manter o recolhimento de lixo em Montenegro. “Graças a Deus sobraram dois caminhões. Nossa equipe é muito unida e a coleta não parou”, afirma, citando que apenas a coleta seletiva acabou sendo prejudicada. “Temos muita dificuldade para seguir, mas não vamos parar. Existem pessoas ruins, como quem mandou fazer e quem fez isso. Porém, temos também muita gente boa do nosso lado, como família, amigos, colaboradores, fornecedores e administração municipal, todos querendo ajudar”, completa.

Segundo a empresa, na quarta-feira a coleta foi feita com apenas dois caminhões. Na quinta-feira chegou mais um caminhão e outro ontem. “Não tem atraso, exceto na coleta seletiva, que não está sendo feita. Porém, o lixo que a seletiva não leva no outro dia pelo caminhão prensa”, informa a responsável.

Só nos caminhões o prejuízo está estimado em cerca de 320 mil reais. Mas também ocorreram danos na oficina e almoxarifado. A empresa informa que qualquer informação e reclamação sobre a coleta do lixo pode ser encaminhada através do telefone 0800 4940900.

Processo de impeachment e CPI

A questão da coleta de lixo teve outra repercussão em Montenegro em razão da abertura de processo de impeachment contra o prefeito Kadu Müller, em fevereiro deste ano, com denúncias de irregularidades. Uma ex-funcionária da Prefeitura e da própria Komac denunciou pagamento de propina. Denúncias anteriores, no mesmo tema, também motivaram abertura de CPI. Os trabalhos estão interrompidos porque as atividades na Câmara estão suspensas devido à pandemia do coronavírus.

Questionada se o incêndio criminoso poderia ter alguma relação com denúncias contra a empresa e Prefeitura na Câmara, a gerente não descartou. “Pode. A essa altura tudo pode”, declarou.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here