Edler Gomes dos Santos levou tiro na axila - Crédito: Reprodução

Edler Gomes dos Santos, de 54 anos, estava na Polícia Civil desde 2010. Trabalhava atualmente na Delegacia de Lavagem de Dinheiro do Departamento Estadual do Narcotráfico (DENARC), de Porto Alegre. Ele foi morto no início da manhã de hoje, terça-feira, dia 16, durante uma operação de combate a crimes rurais em todo o Estado, principalmente contra roubo de gado (abigeato), crimes ambientais, comércio ilegal de armas e munição.

Tiroteio ocorreu no início da manhã de hoje em Potreiro Grande
– Crédito: Guilherme Baptista/FN

Na Estrada da Pedreira Velha, localidade de Potreiro Grande, interior de Montenegro, quatro policiais civis foram cumprir mandado de busca e apreensão. A suspeita era de que na casa da propriedade tivesse um depósito de armas e carnes. Conforme a Polícia, um morador se negou a sair da casa e começou a atirar com uma espingarda calibre 12. Edler foi atingido na altura da axila e morreu no local. Outro policial, Alexandre Machado, também do Denarc, conseguiu se proteger atrás de uma viatura. Mesmo assim também foi atingido por estilhaços, na altura do rosto. Ele está internado no Hospital Montenegro e passa bem. No tiroteio, o acusado de atirar nos policiais acabou sendo morto. Ele foi identificado como Claudio Roberto Nardi, de 59 anos. Segundo a Polícia, tinha antecedentes por crime ambiental.

Policial Alexandre Machado está no Hospital Montenegro e se recupera bem
– Crédito: Bruna Ostermann/SBT RS

Potreiro Grande fica perto da localidade de Pesqueiro, onde está a Penitenciária Estadual. Entrando pela RS 124, após cerca de três quilômetros de estrada de chão, a propriedade fica junto de uma encruzilhada. O local foi isolado para a realização de perícia. Os dois policiais civis baleados estavam usando equipamentos de segurança, como coletes à prova de balas. Entretanto, foram atingidos na cabeça e junto a axila, em área desprotegida.

A Polícia Civil realizou hoje uma grande operação com o cumprimento de 84 mandados de busca e apreensão em 37 municípios, incluindo em propriedades, estabelecimentos comerciais, casas e outros locais, no chamado Dia D de combate aos crimes rurais. Só em Montenegro, conforme o delegado regional Marcelo Farias Pereira, participaram 135 policiais, para cumprir 24 mandados de busca e apreensão. Segundo a chefe de polícia do Estado, delegada Nadine Anflor, que esteve no local do tiroteio, a investigação sobre a quadrilha envolvida em abigeato durou cerca de dois meses. Foram apreendidos mais de 220 mil reais e armas como três espingardas e um revólver, além de ocorrerem quatro prisões.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here