João Victor Friederich foi assassinado em Novo Hamburgo e o corpo encontrado no interior do Caí - Crédito: Reprodução/FN

A Polícia Civil pediu a realização de exame de DNA para saber se o corpo encontrado parcialmente enterrado, no final da tarde da última sexta-feira, dia 13, no interior de São Sebastião do Caí, é o do morador de Estância Velha que desapareceu em Novo Hamburgo. Conforme o delegado Marcio Niederauer, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), ainda não há como dizer que se trata da mesma pessoa. “Pediremos confronto de DNA”, afirma. A delegada Cleusa Spinato, da Delegacia do Caí, também diz que não tem como confirmar nada ainda, já que aguarda os laudos do Instituto Geral de Períciais (IGP) e do Instituto Médico Legal (IML), além do trabalho de investigação.

João Victor Friedrich de Oliveira, de 31 anos, está desaparecido desde sexta-feira retrasada, 6 de março. Sócio de uma empresa de consórcios de imóveis, ele estaria no apartamento da namorada, de 16 anos, no centro de Novo Hamburgo, onde teria sido baleado e imagens gravadas por uma câmera mostraram o corpo sendo colocado dentro do porta-malas de uma caminhonete Mercedes Benz.

Dentro do apartamento, além de sangue, foram encontrados 2,2 milhões em euros e reais, armas, drogas, 28 celulares e placas oficiais da Câmara dos Deputados. A Mercedes foi encontrada queimada, dois dias depois, no interior do município de Portão. Era roubada e tinha as placas clonadas. A namorada do desaparecido e sua mãe, de 35 anos, foram detidas. Um dos principais suspeitos de envolvimento no caso chegou a ser preso, mas fugiu da Delegacia de Novo Hamburgo. Sandro da Silva Miotti, 43 anos, é pai da namorada do desaparecido.

Indícios são fortes

Alguns indícios levam a Polícia a suspeitar que o corpo encontrado no Caí seja mesmo do caso de grande repercussão no Vale do Sinos. Um agricultor estava pastoreando vacas no Morro Schneider quando visualizou urubus sobrevoando o local e ao verificar se deparou com o corpo parcialmente enterrado, somente com joelhos e rosto para o lado de fora. A Brigada Militar isolou o local e foram acionadas a Polícia e a perícia. Em razão do estado do corpo não era possível a identificação. A vítima estava só de cueca e tênis, sobre um casaco cinza e enrolado num lençol, que pode ser o mesmo visto em imagens junto ao prédio onde teria ocorrido o homicídio.

Mercedes Benz onde teria sido transportado o corpo no porta-malas foi encontrado queimado em Portão
– Crédito: Brigada Militar

Alguns veículos, inclusive de modelo Toyota Corolla teriam sido vistos por moradores próximos da chácara, na última semana, modelo igual ao que teria sido usado por um dos acusados e que foi apreendido. A propriedade fica próxima da divisa com Portão, município onde foi incendiado e abandonado o Mercedes Benz em que teria sido transportado o corpo no porta-malas. Por enquanto o único registro é de encontro de cadáver, ainda sem identificação, em boletim de ocorrência feito na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de Montenegro. Mas as investigações devem avançar nesta semana.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here