O vídeo foi destaque até no Jornal Nacional de ontem e em várias emissoras de televisão - TV Globo/Reprodução/FN

A Polícia Civil de Montenegro esteve nesta quinta-feira, dia 24, na casa do casal onde foi gravado o vídeo de uma criança “brincando” com um revólver. As buscas foram efetuadas numa residência da travessa José Pedro Steigleder, no bairro Cinco de Maio. “Cumprimos mandado de busca. Encontramos a casa semi-pintada, mas ainda com elementos que ligam ao bebê, como bercinho, fraldinhas, ursinho”, destaca o delegado Paulo Ricardo Costa, que comanda a investigação. “Recebemos muitas informações na Polícia e na Brigada, inclusive com nome dos responsáveis”, agradece, sobre a participação da comunidade.

Segundo o delegado, os pais estão identificados, mas não foram divulgados nomes até para preservar a própria criança. “A menina é filha de um traficante que veio residir em Montenegro e que foi preso algumas vezes. Hoje cumpre pena na Penitenciária do Pesqueiro. Morava com a companheira”, informa. A mãe teria saído de Montenegro ontem, quarta-feira, em razão da grande repercussão do caso. O vídeo ganhou repercussão nacional, sendo mostrado inclusive em emissoras de televisão como RBS TV, Record e SBT. Ontem inclusive foi destaque no Jornal Nacional, da TV Globo.

O delegado diz que, será feita a remessa do inquérito policial à Justiça com o indiciamento. Como o pai está preso, falta localizar a mãe, que estaria com a criança. O casal deve ser indiciado por posse ilegal de arma de fogo e omissão de cautela, além de outras responsabilidades ligadas ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). É crime vender, fornecer ainda que gratuitamente ou entregar, de qualquer forma, a criança ou adolescente arma, munição ou explosivo. A pena prevista é de 3 a 6 anos de reclusão.

Os pais podem inclusive perder a guarda da filha, o que depende de uma decisão da Justiça. “Temos essa preocupação. A criança tem que receber uma assistência”, entende o delegado, ressaltando a irresponsabilidade de quem deveria cuidar da menina que aparenta não ter mais do que 2 anos de idade. Pelo vídeo, que tem apenas 23 segundos de duração, a menina estaria “brincando” com um revólver calibre 38. Segundo o delegado, não é possível verificar se a arma estava carregada. Mesmo que não estivesse, é um absurdo. “É proibido de qualquer jeito. Chega a ser um deboche”, revolta-se o delegado, sobre quando a mãe diz para a criança ficar em cima da cama e que não é para “brincar” com a arma na rua. E ainda se ouve as risadas do casal.

Ainda não se tem a certeza de quando o vídeo foi gravado. Ele chegou à Polícia na última quarta-feira. Mas pelas roupas da criança, com blusão e calça comprida, pode ter sido gravado faz mais tempo. Independente da época, é um crime gravíssimo.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here