Fábrica clandestina de cigarros fica na localidade de Calafate, no interior de Montenegro - Crédito: Talis Ferreira

A Polícia Civil e a Brigada Militar, numa ação conjunta, realizaram no final da tarde desta quarta-feira, dia 19, uma das maiores apreensões de cigarros da história. Uma fábrica de cigarros clandestinos foi descoberta na localidade de Calafate, no interior de Montenegro. A apreensão de materiais é estimada em mais de 50 milhões de reais. Três pessoas foram presas, entre eles duas do Paraguai.

Materiais e maquinário eram utilizados para a produção de cigarros que recebiam selo como sendo do Paraguai
– Crédito: Talis Ferreira

Conforme o delegado Paulo Costa, a equipe de investigação da Polícia Civil estava apurando um golpe de estelionato envolvendo a venda de trator. No decorrer da investigação se deparou com a possibilidade de um depósito de carga roubada. Após levantamentos, foram autorizados pela Justiça mandados de busca e apreensão. Os policiais viram uma movimentação suspeita e ao ingressarem num pavilhão se depararam com cerca de quinze homens. Três foram presos, entre eles dois do Paraguai. E se surpreenderam com o material encontrado. Inclusive na propriedade foi encontrado um alojamento em péssimas condições, onde pessoas estariam trabalhando. O delegado suspeita que fizessem um trabalho escravo. “Disseram que vieram com um capuz na cabeça, para não saber onde estavam e nem como sair do local”, declarou, após conversar com alguns dos indivíduos.

Até empilhadeira tinha no pavilhão onde dois paraguaios e um brasileiro foram presos
– Crédito: Talis Ferreira

A Polícia Civil, ao se surpreender com o que foi encontrado e pediu o apoio da Brigada Militar. O delegado Paulo Costa calcula que, entre maquinário, materiais, embalagem e cigarros clandestinos já prontos, o valor soma mais de 50 milhões de reais. O cigarro tem inclusive o selo como sendo do Paraguai. Ainda não se sabe se era levado para o Paraguai ou vendido diretamente para estabelecimentos comerciais da região e do Estado. A Polícia aprendeu ainda carros, trator, arma, equipamentos e materiais, caixas de fumo e até uma empilhadeira, além da realização da prisão. Isso tudo em meio a muita sujeira. Próximo foi encontrado uma residência de luxo, com piscina e bastante conforto, que o delegado suspeita que seja de quem comandava o esquema. O local tinha inclusive câmeras de videomonitoramento, tanto no pavilhão como na moradia.

Deixe seu comentário