Cristiano Telles de Castro tinha 30 anos Facebook/Reprodução

Até 1º de junho Montenegro tinha registrado apenas um homicídio neste ano. Nesta data, no bairro Aeroclube, a paz foi interrompida com o assassinato de Leandro de Melo Mateus, de 30 anos, que foi a tiros. A Polícia Civil, inclusive, já prendeu os acusados e esclareceu o crime.

Ainda no mês de junho aconteceu um segundo homicídio em Montenegro. Mais uma vítima de 30 anos e que também foi baleado. Cristiano Telles de Castro levou dois tiros na madrugada de domingo na altura da Rua Ernesto Zietlow, perto da estação rodoviária. A Brigada Militar chegou a realizar buscas pelas redondezas, mas ninguém foi preso.

A Polícia busca imagens de câmeras e pistas para tentar identificar os autores do homicídio. Os tiros teriam sido disparados de dentro de um carro de cor prata. Conforme a Brigada, os acusados teriam fugido no veículo em direção a RSC 287. Além dos autores, a Polícia também tenta descobrir o motivo do crime.

Deixa dois filhos

Cristiano Telles de Castro foi sepultado na manhã da última segunda-feira, 1º de julho, em Salto do Jacuí. “Mataram o amor da minha vida”, postou em seu facebook, com uma foto, Marisa Muller, recebendo o apoio de dezenas de pessoas, incluindo 265 comentários até o início da semana. Os dois mantinham um relacionamento de cerca de 7 meses. Marisa conta que inclusive estavam juntos na noite de sábado, numa festa perto da rodoviária. “Convidei ele para irmos embora por volta de 3h45. Ele quis ficar um pouco mais com os amigos”, lembra. “Vai que já vou”, ele me disse, segundo Marisa. “Acho que salvou minha vida. Cinco minutos depois mataram ele”, lamenta.

Marisa diz que não sabe o motivo e nem quem teria matado o namorado. Diz que na festa nada de anormal aconteceu quando estavam juntos. “Alguns falam em briga na saída, mas foi muito rápido”, diz. “Ele tinha seus defeitos, mas era muito faceiro. Fazia amizade muito fácil”, afirma.

Separado, Cristiano deixou dois filhos pequenos – uma menina de 7 e um menino de 5 anos. Conforme a Polícia, tinha antecedentes criminais. Em abril chegou a ser preso em Montenegro porque estaria foragido, mas um mês depois foi solto.

Qualquer informação sobre o caso, mesmo de maneira anônima, pode ser passada para os telefones 3632 1111, 197 ou 3649 0000, da Polícia Civil, ou para o 190 da Brigada Militar.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here