Paulo Azeredo, que sofreu impeachment em 2015, quer voltar a concorrer - Arquivo/FN

O ex-deputado estadual e ex-prefeito Paulo Azeredo (PDT) disse que vai entrar com recurso para garantir a sua candidatura à Assembleia Legislativa. Nesta semana o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) indeferiu o registro da candidatura de Azeredo a deputado estadual nas eleições de 7 de outubro. A justificativa é de que ele estaria inelegível devido ao impeachment que o afastou do cargo de prefeito em 2015. Azeredo estranha a decisão. “Foi uma decisão equivocada. Já ganhei o direito de concorrer”, diz, lembrando que inclusive foi candidato a vereador em 2016 e teve os votos validados. “Perdi o cargo de prefeito, mas não estou inelegível”, garante. Ele recorda que o próprio Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que é a instância superior, o liberou dois anos atrás. “É uma afronta a decisão do TSE”, entende, lamentando os prejuízos a sua candidatura.

Paulo Azeredo já foi cinco vezes deputado estadual. Ele mostra um documento onde cita que as irregularidades da qual foi acusado e levaram à perda do mandato de prefeito não feriram a Lei Orgânica do Município, tornando nula a punição e permitindo a sua candidatura. Ressalta, ainda, que a decisão do TSE não foi unânime, tanto que o próprio relator do processo manifestou-se a favor do seu direito de concorrer. Mas os demais desembargadores entenderam que o ex-deputado está com os direitos políticos suspensos. Azeredo diz que está entrando com recurso junto ao TSE, em Brasília, e espera que o caso seja julgado até a próxima semana. Enquanto isso diz que segue em campanha. Como está em fase de recurso, seu nome deverá constar na urna eletrônica no dia da eleição. Mas a expectativa é que antes de 7 de outubro já tenha ocorrido o julgamento do recurso.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here