Além de dinamite e prisão de acusado de homicídio, foram encontradas fardas da Brigada e camisas da Polícia, drogas e munição - Crédito: Polícia Civil

Em entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira, dia 15, a delegada de Polícia de São Sebastião do Caí, Cleusa Spinato, e o comandante do 27º BPM, major Oberdan do Amaral Silva, falaram sobre a Operação Sicário (sanguinário).

Comandante do 27º BPM, major Oberdan, e delegada Cleusa, falaram sobre a operação conjunta
– Crédito: Guilherme Baptista/FN

No total, 35 policiais, sendo 20 civis e 15 militares, cumpriram mandados de busca e apreensão, além de duas ordens de prisão temporária, relativas ao assassinato do jovem Samuel Datsch Correa, de 19 anos, ocorrido no último dia 4 de junho na margem da RS 122, no bairro Angico. Conforme a delegada, a investigação apontou que o homicídio tem relação com o tráfico de drogas.

 

 

Especialistas do BOPE vieram de helicóptero para retirar e detonar bananas de dinamite encontradas numa casa do Loteamento Nova Rio Branco
– Crédito: BM

A operação ocorreu no Loteamento Nova Rio Branco, onde foi preso um dos acusados da execução do rapaz. E no local, uma espécie de um depósito perto da casa em que o acusado estava com sua namorada, foi encontrada uma grande quantidade de drogas. Mas o que mais chamou a atenção foi a localização de explosivos e uniformes da Brigada Militar e da Polícia Civil, além de algemas. Eram fardas da Força Tática da BM e camisetas da Polícia. E surpreendeu também o fato de terem sido encontradas cinco bananas de dinamite. Além disso, munição de grosso calibre, como 14 munições de fuzil 556 e duas de calibre 12, mais dois carregadores de pistola 9 milímetros. “Provavelmente conseguimos impedir uma ação com o uso de explosivos”, acredita a delegada, citando também os uniformes que seriam usados por falsos policiais, o que é bem característico de ataques a carro forte, banco e caixa eletrônico.

Cinco bananas de dinamite estavam num depósito ao lado da casa em que casal foi preso
– Crédito: BM

Em razão dos explosivos, foi necessário acionar o Batalhão de Operações Policiais Especiais, o BOPE (antigo GATE), de Porto Alegre, para análise e remoção da dinamite. Os especialistas do BOPE chegaram num helicóptero da BM e após a remoção levaram os explosivos para uma antiga pedreira da Prefeitura, no bairro Angico, onde as dinamites foram detonadas. Bombeiros Voluntários Caienses também deram apoio à operação.

Entre as grande quantidade de drogas apreendidas estavam 2 quilos e 124 gramas de maconha, distribuída em seis tijolos, mais 608 gramas de cocaína, 8,4 gramas de crack e um comprimido de ecstasy, mais balança de precisão, R$ 1.100 em dinheiro e rádio transmissor.

Polícia prendeu um dos acusados da morte de Samuel Correa e o outro continua foragido
– Reprodução/FN

Além da prisão temporária por homicídio, o acusado, de 26 anos, juntamente com a namorada, de 19 anos, foram presos por tráfico de drogas. O outro acusado de homicídio, também com prisão decretada, não foi localizado e segue foragido. As investigações continuam e também as buscas.

A delegada e o comandante da Brigada ressaltaram a integração entre as corporações para o sucesso da operação e de outras ações. Só assim está sendo possível evitar a criminalidade, principalmente com relação ao tráfico e demais crimes motivados pelas drogas. Em 2017, por exemplo, o Caí chegou a ter 5 homicídios no início do ano e depois mais 4 assassinatos, a grande maioria decorrentes de uma guerra entre facções. Neste ano ocorreram dois homicídios no Caí. Com a ação rápidas dos órgãos policiais, certamente mais crimes estão sendo evitados.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here