Crime ocorreu ontem na casa da família no Morro Carrard, em São Vendelino Crédito: Bombeiros Voluntários

Será sepultado na tarde de hoje, domingo, dia 6, em Bom Princípio, o homem que foi morto a facadas ontem em São Vendelino. O velório de Carlos Borges de Moraes, o “Carlinhos”, de 50 anos, acontece na Capela Mortuária Nossa Senhora da Piedade, na localidade de Piedade, em Bom Princípio. O sepultamento está previsto para as 15h, no cemitério da comunidade.

O crime

A comunidade de São Vendelino, que não registrava um homicídio faz muitos anos, foi surpreendida ontem, sábado, dia 5, com a morte de um morador da localidade de Morro Carrard.

Carlos Borges de Moraes, de 50 anos, será sepultado hoje de tarde na Piedade
– Reprodução/FN

A Brigada Militar foi informada no início da tarde, às 12h45, de que teria ocorrido uma briga de casal e que um homem teria sido esfaqueado. Policiais militares e bombeiros voluntários foram até a residência onde ocorreu o fato, mas já encontraram o homem sem vida, caído no piso, junto à porta do quarto. Ele foi identificado como Carlos Borges de Moraes, de 50 anos. Conforme a Brigada Militar, a vítima foi atingida com facadas na barriga e no pescoço, onde ficou com a faca cravada, em meio a muito sangue. A esposa, acusada de desferir as facadas, não estava na moradia e não foi localizada. Segundo a Brigada, a mulher teria ligado para um dos três filhos relatando o ocorrido. O filho foi até o local e logo chamou os bombeiros, mas o pai já tinha morrido. O local do fato foi isolado para a realização da perícia e levantamento por parte da Polícia Civil. A mulher teria fugido e não foi encontrada até o momento.

Conforme o delegado Paulo Gilberto Baladão, a Polícia aguarda o resultado dos laudos do Instituto Geral de Perícias (IGP) e a necropsia do Instituto Médico Legal (IML). Um dos filhos, que foi o primeiro a chegar ao local, já prestou depoimento. As primeiras informações eram de que a mulher teria reagido a uma agressão do marido, durante um desentendimento. A Polícia ainda aguarda que ela se apresente para dar sua versão sobre o fato. O casal residia em torno de 20 anos em São Vendelino e não tinha passagens pela Polícia. “Carlinhos”, como era conhecido, trabalhava na construção civil e atualmente atuava como pedreiro numa obra em Caxias do Sul.

Deixe seu comentário