Pâmela diz que foi atacada no interior de um pub e depois também na rua - Facebook/Reprodução

Uma mulher denunciou que foi vítima de agressões num estabelecimento no centro de Montenegro e que depois voltou a ser atacada também na rua, perto da Prefeitura.

O fato teria ocorrido no início da madrugada do último sábado, por volta de 1h. Pâmela Costa da Silva, a “Pân Selbach”, de 36 anos, postou em seu facebook que foi agredida por um homem (travesti) na Casa da Esquina (CDE), pub situado perto da Prefeitura. Declarou que foi atacada quando saia do banheiro do estabelecimento. E também na rua, quando estava indo embora, diz que foi atacada pelas costas, vindo a bater a cabeça e sofrendo grave ferimento.

Pâmela admite que teria puxado a peruca do agressor, mas sem agressão. E aí voltou a sofrer agressões. Já na rua também foi atacada, momento que bateu a cabeça. Mesmo ferida, diz que continuou sendo agredida no chão. Foi para o Hospital Montenegro e depois para o Hospital Unimed, tendo levado vários pontos na cabeça. Afirmou que estava com muita dor, mas nesta segunda-feira procurou a Delegacia de Polícia para fazer o registro policial, visando a investigação do caso e punição do agressor. “Nunca tinha passado por isso. Fiquei ferida na cabeça, joelho, cotovelos, pernas”, afirma, reclamando da falta de segurança.

Nota da Casa da Esquina

A reportagem fez contato com os responsáveis pela Casa da Esquina. Foi enviada uma nota informativa, postada também no facebook.

“Nós, da Casa da Esquina, por meio deste post tentaremos prestar as devidas explicações em relação aos questionamentos que nos foram feitos em relação ao ocorrido do dia 22 de julho (sábado).

Durante a festa deste dia houve uma discussão no banheiro dentro da casa. Essa discussão foi rapidamente separada por um dos nossos seguranças. Algum tempo depois houve uma briga na rua, porém não ocorreu na frente do nosso estabelecimento, dificultando ainda mais a possibilidade de que nossa equipe de segurança evitasse o ocorrido.

Gostaríamos de ressaltar que nossa equipe de segurança agiu de maneira padrão dentro da festa, evitando agressões e que nós tentamos manter o entorno do estabelecimento o mais seguro possível, porém não podemos nos responsabilizar pelo que acontece na rua.

Lamentamos muitíssimo e informamos que já entramos em contato com a pessoa que foi agredida na rua nos oferecendo para conversar sobre o ocorrido e tentar ajudar.

Como vocês sabem, a Casa da Esquina é contra qualquer tipo de violência e estamos sempre tentando tornar esse espaço seguro para todos.”

1 COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here