Brigada Militar prendeu os seis acusados de envolvimento no assassinato - Crédito: BM

O Ministério Público (MP) do Rio Grande do Sul ofereceu denúncia, nesta sexta-feira, dia 18, contra seis pessoas envolvidas na morte de um representante comercial no município de Feliz. Edevaldo Tonatto foi assassinado no dia 3 de setembro dentro de uma ótica, no centro da cidade, por disparos de arma de fogo. Na denúncia, a promotora de Justiça Cíntia Foster de Almeida sustenta que Luiz Fernando Silveira de Borba, 26 anos, Alan dos Santos Dias, 21 anos, e Wesley David Serafini, 20 anos, após planejar a ação e visitar os arredores da loja na noite anterior, roubaram, no dia do crime, sete relógios avaliados em R$ 4.693 mediante grave ameaça exercida com revólver calibre 38 e pistola 9 milímetros contra quatro pessoas, entre elas, Edevaldo, que entrou em luta corporal e foi morto. Na ação, enquanto Alan e Wesley efetuavam o assalto, Luiz esperava os comparsas na localidade de São Roque para a troca de veículos, que de fato ocorreu.

Com os acusados foram apreendidas armas, munição, relógios, coletes balísticos e outros materiais –
Crédito: BM

Após a fuga, João Vitor da Cruz Wagner, 39 anos, Ilham Rodrigues da Silva, 19 anos, e Patrick Varela, 30 anos, tentaram ajudar Alan, Wesley e Luiz a se esconderem da polícia, “fato que somente não se consumou por razões alheias às suas vontades, qual seja, a pronta e eficaz intervenção da Brigada Militar, que realizou a abordagem e prendeu os denunciados em flagrante”, pontua a promotora.

Todos foram denunciados por organização criminosa. Luiz Fernando, Alan e Wesley são acusados também de latrocínio. Ainda recai sobre Alan o crime de porte ilegal de arma de fogo de uso permitido e sobre Wesley, o de porte ilegal de arma de fogo com numeração raspada. Ilham, João Vitor e Patrick foram denunciados por tentativa de auxiliar na fuga.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here