Garrafas de cachaça abertas foram encontradas dentro do carro - Crédito: PRF

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu em flagrante um motorista de Montenegro que dirigia alcoolizado pela contramão da BR 386. Conforme a PRF, o índice de álcool detectado foi mais de quatro vezes superior ao limite para o crime por embriaguez ao volante.

O flagrante, no trecho de Montenegro da Tabaí/Canoas, aconteceu na noite de sábado, por volta de 21h30, quando policiais rodoviários federais visualizaram um Fiat Uno trafegando na contramão de direção, em frente à Unidade Operacional de Montenegro. A equipe passou a acompanhar o veículo e conseguiu efetuar a abordagem cerca de dois quilômetros à frente.

Garrafas de cachaça abertas foram encontradas dentro do carro – Crédito: PRF

No veículo, os agentes federais citam que encontraram duas garrafas de cachaça abertas, estando uma praticamente vazia. O condutor foi convidado a realizar o teste de bafômetro que apontou 1,45 mg/L, índice mais de quatro vezes superior ao limite configurado como crime de trânsito pela legislação brasileira, a partir de 0,34 mg/L.

O motorista, de 50 anos e morador de Montenegro, foi preso e encaminhado para a Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de Montenegro, onde foi lavrada a prisão em flagrante. O veículo, que se encontrava em mau estado de conservação, foi apreendido.

Anjos fardados

Em relato na sua página no facebook, uma moradora de São Leopoldo relatou que estava voltando de Encantado com a família. Cita que foi dado sinal de luz e buzinadas para o carro que trafegava na contramão. “Ele continuava a avançar sobre nós”, lembra. Por sorte conseguiu trocar de faixa e desviar. A família foi então até o posto da PRF, parando do outro lado do acostamento, de onde buzinaram e gritaram para os policiais, que já tinha sido alertados e estavam correndo para a viatura.

Após chegar em casa, a moradora de São Leopoldo ainda telefonou para a Polícia Rodoviária de Montenegro. “São anjos que Deus colocou no asfalto para cuidar da estrada”, agradece. “Nós conseguimos desviar, estávamos atentos e em uma velocidade que a manobra não nos ofereceu risco. E se não estivéssemos? E se a família de trás não tivesse a mesma atenção? E se a PRF não conseguisse alcançar este motorista? Hoje a matéria infelizmente seria outra”, escreveu, elogiando os policiais. “Gratidão e que Deus sempre proteja estes anjos fardados”, concluiu.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here