João Vilson Padilha, o "Pulga", tinha 42 anos - Facebook/Reprodução

Na noite da última quarta-feira, 31 de outubro, um casal foi baleado dentro do carro em Novo Hamburgo. O homem, identificado como João Vilson Padilha, de 42 anos, era morador do Vale Real. Ele morreu no banco do motorista. Já a namorada, de 20 anos, residente em São Leopoldo, levou um tiro de raspão na perna e se feriu também devido aos estilhaços da janela do carro.

O crime ocorreu no Loteamento Kephas por volta de 20h10. Segundo a Brigada Militar, dois homens armados teriam praticado o homicídio. Quando os  PMs chegaram ao local, João Padilha ainda estava agonizando dentro do carro. Já a jovem conseguiu escapar do carro a tempo de não levar mais tiros e buscou socorro em uma residência próxima até a chegada da Brigada. O Samu conduziu ela para o Hospital Municipal de Novo Hamburgo, onde foi medicada e liberada. Ela esteve na Delegacia na manhã de ontem, quinta-feira, prestando depoimento.

O automóvel da vítima, um Gol ano 1993 emplacado no Vale Real, ficou com várias marcas de tiros. João Padilha era natural de Itapiranga (Santa Catarina), mas morava atualmente no Vale Real. Estaria se mudando para o Vale do Sinos para morar com a namorada. Não tinha antecedentes criminais e a Polícia Civil investiga qual seria a motivação do crime. Como nada foi levado, a Polícia descarta a hipótese de latrocínio, que é roubo seguido de morte. A Polícia não divulga mais detalhes do que foi apurado para não atrapalhar a investigação.

Conforme informações, João Vilson Padilha, conhecido como “Pulga” ou “Pulguinha”, morava na área central do Vale Real. Ele está sendo velado na capela mortuária da igreja católica e o sepultamento está previsto para ocorrer no cemitério do Morro Gaúcho.

Na mesma quarta-feira em que ocorreu o crime, às 10h25 da manhã, João Padilha postou no facebook que estava vendendo o seu automóvel Gol, inclusive anexando uma foto do carro. Já de noite foi morto dentro do veículo em Novo Hamburgo.

Deixe seu comentário