Thaiane de Oliveira, de 29 anos, foi morta no dia 24 de julho - Reprodução/FN

A Polícia Civil confirmou a data da reconstituição do crime que resultou na morte da agente de saúde Thaiane de Oliveira, de 29 anos. A reconstituição será na noite de 26 de novembro, uma terça-feira, às 20h, na casa onde residia o casal, no bairro Bosques. Thaiane foi morta em 24 de julho deste ano pelo esposo, que é policial militar e alegou ter atirado por engano.

Segundo o delegado Rodrigo Zucco, que comanda a investigação, a reconstituição é fundamental para a conclusão do inquérito e para apontar se foi homicídio culposo (sem intenção), com dolo eventual, ou doloso (intencional). O acusado, de 31 anos, deverá participar. Ele chegou a ficar internado por duas semanas no Hospital da Brigada Militar em Porto Alegre e segue respondendo ao processo em liberdade.

Familiares e amigos de Thaiane realizaram uma passeata, em agosto, pedindo esclarecimentos sobre a forma como foi morta a agente de saúde. E entre os pedidos estava a realização da reconstituição.

O PM alegou que atirou por engano ao confundir a esposa com um criminoso. Disse que teria desligado o disjuntor durante a madrugada devido aos raios. Ao ser acordado por um barulho estranho, foi verificar e diz que viu um vulto. O soldado disse que deu ordem para que a pessoa parasse, mas como a movimentação suspeita continuou, acabou atirando. Só então teria visto que era a esposa com a lanterna do celular, que teria ido ao banheiro. Ela ainda foi socorrida e levada ao hospital de Portão, mas não resistiu e veio a falecer.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here