Em dez dias é a segunda vez que ladrões desmancham o transformador e retiram cabos para furtar cobre - Crédito: Corsan

Em questão de dez dias, a Estação de Tratamento da Corsan (ETA 2), situada perto da antiga fábrica da Antarctica, sofreu seu segundo furto. Por volta de meia-noite e início da madrugada desta terça-feira, dia 14, foi constatado outra vez o furto de material de cobre do transformador, que foi desmanchado, além de cabos. “Fizeram a mesma coisa de novo”, lamenta o gerente da Corsan, Lutero Fracasso, informando que teve de ser buscado novo transformador em Bento Gonçalves e os técnicos estão trabalhando desde a madrugada. A previsão é de concluir a substituição dos equipamentos no início da tarde, em torno de 14h. Mas deve faltar água em todos os bairros a partir das 10h da manhã. E como o consumo é muito alto nesta época de intenso calor, não se tem previsão de quando o abastecimento será normalizado, já que deve demorar para recuperar os reservatórios. Somente na área central, onde a água é fornecida pela ETA 1, da rua Apolinário de Moraes, não deve ter interrupção no abastecimento. “Peço a população que economize água, fazendo uso racionado”, solicita o gerente Lutero Fracasso. Além do alerta para a população evitar o desperdício, a torcida é para que ocorra chuva hoje, o que diminui o calor e o consumo.

Na noite de 4 de janeiro, sexta-feira, já tinha ocorrido furto na estação perto da Antarctica. Da mesma forma, o transformador foi desmanchado e cabos retirados, para o furto de cobre. Ontem o fato se repetiu. A Brigada Militar, ao ser avisada, realizou buscas, mas os ladrões e os materiais não foram mais localizados. Além dos transtornos causados pela falta de água, o furto ocasiona um grande prejuízo para a Corsan e consequentemente para a população, já que se trata de uma estatal. “Teremos que adotar providências com relação à segurança”, diz Lutero, lamentando os furtos. Ele diz que será contratada uma empresa para fazer a vigilância por monitoramento e também será colocada uma proteção para o equipamento. “Se não vão voltar e continuar roubando”, teme. Como o furto teve as mesmas caractA comunidade também pode ajudar denunciando, caso tenha informações sobre os ladrões e retirados da ETA, e sobre os receptadores que compram o material furtado, o que também é crime. Informações, mesmo de maneira anônima, podem ser passadas para os telefones 190 da Brigada ou 197 da Polícia Civil.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here