Vagner Azeredo foi sepultado em Montenegro e familiares acreditam na sua inocência - Reprodução/FN

Passada uma semana, a Polícia Civil busca montar o quebra-cabeça para elucidar o que de fato aconteceu na tarde do último domingo, 30 de junho, na localidade de Batinga, interior de Brochier.

O fato ocorreu no início da tarde, por volta de 13 horas, perto da escola e ginásio de Batinga Sul. As primeiras informações, por parte da Brigada Militar, eram de que um morador teria reagido a um assalto. Um indivíduo que estava de moto, acabou morrendo no local. Na troca de tiros, o morador também foi baleado. De acordo com a Brigada Militar, ele foi atingido com dois tiros e encaminhado pela ambulância da Prefeitura para o Hospital Montenegro.

Conforme a Brigada, o indivíduo que morreu foi identificado como Vagner de Azeredo, de 34 anos. Ele é natural de Montenegro. Segundo a Brigada, tinha antecedentes criminais e estava em prisão domiciliar. Vagner foi sepultado no final da tarde da última segunda-feira, no Cemitério Municipal de Montenegro.

Já o morador da localidade de Batinga, João André Vedoy, conhecido como Shrek, de 38 anos, foi internado em estado grave na UTI do Hospital Montenegro (HM). Ele foi atingido por dois disparos, no abdômen e maxilar, sendo que um projétil ainda estava alojado.

De acordo com o Delegado Marcos Eduardo Pepe, que estava de plantão na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA), moradores de Batinga comentaram que estavam preocupados porque um motociclista estaria circulando pela localidade desde a noite anterior. Dois moradores, então, suspeitando da atitude de um motoqueiro, o abordaram no início da tarde de domingo, perguntando o que Vagner estaria fazendo. Foi quando teria ocorrido a troca de tiros. Segundo o delegado, pelo que se apurou não teria ocorrido assalto e nem tentativa de roubo.

O delegado Pepe diz que chegou a conversar com Shrek no hospital. Ele confirmou que suspeitavam que o motoqueiro fosse praticar um assalto. E quando o abordaram para questionar foi recebido a tiros. Mesmo ferido conseguiu reagir, atirando contra o motociclista, que veio a morrer no local.

A Polícia busca mais informações para elucidar o que de fato aconteceu na Batinga. Qualquer informação sobre o caso, mesmo de maneira anônima, pode ser passada para a Polícia Civil ou para a Brigada Militar.

Família não acredita em roubo

Familiares não acreditam que Vagner iria praticar algum roubo e pedem que investigação apure o que aconteceu
– Crédito: Brigada Militar

“Ele era inocente”. A afirmação é de um familiar de Vagner, sobre a suspeita de que iria praticar roubo. “Não atirou na pessoa que está no hospital. Da arma dele não saiu nenhum disparo. Não teve nem tempo de sacar para se defender”, completa, acreditando que atiraram em Vagner por engano. O familiar, que pediu para não ser identificado, nega que Vagner estivesse circulando de moto pela localidade na noite anterior, garantindo que manteve contato com ele e que estava a pé. Por isso os parentes acreditam que o confundiram com outro indivíduo que também teria moto preta e que estaria praticando roubos.

Parentes de Vagner informaram que ele tem uma filha de apenas 3 meses de idade e que adorava ela. Segundo eles, este foi um dos motivos que o fizeram mudar de vida. Informaram que Vagner estava trabalhando e morando em Brochier desde o ano passado. No município trabalhou numa madeireira e mais recentemente num aviário. “Queria fazer tudo certo para dar um bom exemplo para a filha”, dizem os parentes, informando que estava terminando de cumprir sua pena.

Os familiares esperam que a Polícia investigue o que de fato aconteceu no último domingo na Batinga, para que tudo seja devidamente esclarecido.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here