Municipal retomou escolinhas (foto), mas falta apoio e ladrões também atrapalham - Facebook/Reprodução

Está cada vez mais difícil realizar atividades do futebol de campo de onze em Montenegro. Já não basta a falta de apoio e a não realização de campeonatos municipais nos últimos anos, quando os dirigentes tentam reerguer o esporte ainda tem que enfrentar a criminalidade.

Treinador na Escolinha do Grêmio Esportivo Municipal, clube que também assumiu a presidência, Alex Gonçalves, o “Leleco”, após passar por vários clubes do futebol gaúcho e até de outros Estados, decidiu voltar a Montenegro e lutar para reerguer o seu time do coração na metade deste ano de 2018. Encontrou o Estádio Hélio Alves de Oliveira, no bairro Municipal, em condições precárias. O estádio estava fechado e sem jogos desde o final do ano passado. A sede ficou interditada desde que as paredes desmoronaram durante as obras no arroio São Miguel. Leleco começou a limpar tudo. Conseguiu máquina de cortar grama emprestada, já que nem isso tinha mais funcionando. A situação estava tão precária que parte da tela, na frente da arquibancada, foi furtada. Também roubaram pia do banheiro, quebraram vidros e troféus da sede foram jogados no arroio. O clube chegou a ser notificado pela Prefeitura devido ao matagal que tomou conta do estádio.  Como fonte de recursos, para investir na estrutura, Leleco buscou locar espaços publicitários no estádio, incluindo arquibancada e muros. E assim o futebol voltou ao Municipal, com a escolinha da gurizada retornando ao gramado.

Novos furtos

Mas as dificuldades continuam. Ontem, sexta-feira, Leleco teve outra frustração. A porta do vestiário do Municipal tinha sido arrombada durante a madrugada. E uma roçadeira, que tinha sido emprestada, foi furtada. Uma outra máquina maior só não foi levada porque não passou pela porta. O treinador registrou o furto na Delegacia e pede para que se alguém tenha informação da roçadeira entre em contato com a Polícia no telefone 197, 3632 1111 ou 3649 0000, mesmo de maneira anônima, para tentar auxiliar na recuperação do equipamento. Também pode avisar diretamente o Leleco ou no campo do Municipal.

Depois de retornar da Delegacia, Leleco percebeu outro furto no estádio. Desta vez furtaram a fiação elétrica da sede. Também levaram lâmpadas e latas, além de quebrarem troféus e outros prejuízos.

Mesmo com todas as dificuldades, Leleco segue na luta. Mantém a escolinha nas segundas e sextas-feiras. E abriu uma turma também de futebol feminino. Em torno de 25 treinam nas diversas categorias, entre 6 e 16 anos. Além da mensalidade, tem a locação de muros para manter os treinos e a estrutura. Com as mensalidades, crianças recebem uniformes. Leleco comprou uma máquina de cortar grama, que ainda está pagando e que por sorte não foi furtada. A roçadeira tinha sido emprestada por um cidadão, mas acabou sendo furtada.

Qualquer informação ou apoio pode ser feito contato pelo telefone 99502 0602.

Deixe seu comentário