Enteado confessou ter matado o tenente Contreira, mas negou participação da mãe Crédito: Facebook/Reprodução

“Gente, esse é meu pai Glaiton Contreira. Ele está sumido desde ontem (dia 25). ”A postagem foi feita por Yago Rudinei da Silva Machado, de 25 anos, em seu facebook, na internet, na última segunda-feira, dia 26, juntamente com fotos do rapaz com o padrasto e o filho menor. “Meu pai saiu para caminhar em Sapiranga. O celular dele dá na caixa postal. Por favor se alguém tiver alguma pista. Meu pai não é de sumir. Ele teria uma reunião de trabalho hoje e não compareceu. Meu pai nunca faltou nenhum compromisso. Por favor se alguém souber de algo me avise”, completou o enteado, na postagem, que até hoje de manhã, quarta-feira, já tinha recebido mais de 600 comentários e 2,8 mil compartilhamentos, tamanha é a repercussão do caso. Principalmente porque na mesma segunda-feira, após ser encontrado o corpo do tenente Contreira, o enteado acabou confessando que matou o padrasto, de 52 anos.

Enteado divulgou várias fotos com o tenente para comunicar o seu desaparecimento e mobilizando a comunidade para encontrá-lo
– Crédito: Facebook

Mesmo sendo o autor do bárbaro crime, Yago foi às redes sociais informar sobre o desaparecimento do tenente e apelar para que as pessoas ajudassem a encontrá-lo. Ele próprio ajudou na mobilização das buscas, feitas por familiares, amigos, colegas bombeiros do tenente e a própria polícia. Quando a polícia suspeitou de seu envolvimento, por apresentar contradições durante seu depoimento, acabou admitindo que tinha matado o comandante dos Bombeiros de Montenegro. E foi um crime premeditado. Segundo a Polícia, com muita frieza, o enteado deu detalhes de como cometeu o homicídio.

Corpo do tenente Contreira foi encontrado na segunda-feira em Sapiranga e enteado foi preso no mesmo dia
– Crédito: Polícia Civil

O delegado Fernando Branco, da Delegacia de Sapiranga, comanda a investigação. Conforme foi apurado pela Polícia, o tenente Contreira teria emprestado o carro para o enteado buscar o namorado no aeroporto. Mas teria aceitou uma carona até o local em que praticaria a caminhada. Quando o tenente embarcou em seu carro, o enteado teria pego um pano encharcado com éter e colocou na boca do padrasto, o qual ficou desacordado. Foi com o carro então até um local ermo, próximo da divisa de Sapiranga com Campo Bom, onde matou o tenente com um corte profundo no pescoço. Depois mexeu nos bolsos do tenente e retirou pertences pessoais para tentar dar a impressão de que tivesse sido um latrocínio (matar para roubar).

O motivo do crime, na verdade, seria que o rapaz queria parte da casa em que sua mãe vivia com o padrasto, em Sapiranga. O casal, que residia no bairro São Luiz, estava em processo de separação. Yago não residia com eles. Ele morava numa outra casa, também em Sapiranga. O casal estava junto há cerca de doze anos e tem um filho em comum, de 8 anos.

A Polícia apurou que por duas semanas o rapaz teria desviado éter e instrumentos cortantes do Hospital de Sapiranga, onde trabalhava como estagiário no setor de enfermagem. Já no seu celular a polícia verificou que o rapaz pesquisou na internet sobre como dar facada em alguém, como fazer exame de sangue após o corpo ser encontrado em decomposição e como colocar éter na boca para deixar uma pessoa desacordada.

Preso no Exército

Como é soldado do 19º Bimtz de São Leopoldo, Yago foi recolhido na madrugada de ontem para a carceragem do Exército em Porto Alegre. Conforme foi informado, ele estaria em situação de reintegrado judicialmente do Exército e por isso foi preso em instituição militar. O rapaz não tinha antecedentes criminais e costumava participar de ações solidárias na comunidade, como eventos para crianças carentes e doações de sangue. Em julho deste ano também foi iniciada uma campanha, através da vakinha on-line, para que pudesse realizar uma cirurgia devido a uma discopatia degenerativa e hérnia de disco, que lhe estariam causando dores intensas. Através da campanha arrecadou R$ 2,5 mil.

O delegado solicitou a prisão preventiva do acusado, que deve ser indiciado por homicídio qualificado, sujeito a pena entre 12 e 30 anos de prisão.

A despedida hoje

Tenente Glaiton da Silva Contreira será sepultado nesta quarta-feira em Rio Grande, sua terra natal
– Reprodução/FN

O tenente Contreira era natural de Rio Grande, no sul do Estado. Além de Montenegro, atuou também nos bombeiros de Sapiranga e comandou o quartel em Taquara. Era muito elogiado e estimado. Os bombeiros de Montenegro ressaltam o brilhante trabalho que vinha realizando, mesmo estando à frente da corporação por apenas um ano e meio. Em pouco tempo, através de diálogo com o poder público e fornecedores, conseguiu realizar melhorias no prédio do quartel, além de novos equipamentos e materiais, melhorando as condições de trabalho dos bombeiros e o atendimento à população.

São muitas as homenagens, nas redes sociais, ao tenente Glaiton da Silva Contreira. O Corpo de Bombeiros do Estado emitiu nota de pesar lamentando a morte do tenente. A Prefeitura de Montenegro decretou luto oficial de três dias. A despedida está prevista para ocorrer no município de Rio Grande. O velório está programado para a manhã desta quarta-feira, dia 28, entre 7h30 e 11h30, na sede do 3º Batalhão de Bombeiro Militar (BBM), seguido de sepultamento no cemitério municipal da cidade de Rio Grande.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here