Bombeiros chegaram a fazer buscas no rio após registro de desaparecimento do motorista - Crédito: Bombeiros da Feliz

No final da tarde desta quarta-feira, dia 14, por volta de 18h, os Bombeiros Voluntários da Feliz receberam um telefonema. Segundo o comandante dos bombeiros, Claudinei Stürmer, uma moça se identificou como irmã do motorista do automóvel Gol que estaria desaparecido desde o acidente que resultou na morte do motociclista na RS 452. “Ela disse ser irmã do desaparecido e que ele fez contato dizendo que está vivo. Não passou localização e nem mais nenhuma informação”, cita.

No começo da tarde de hoje Bombeiros da Feliz iniciaram buscas pelo motorista, de 27 anos, no Arroio Feliz, próximo ao local do acidente, já que seu pai registrou ocorrência na Delegacia de Polícia informando de seu desaparecimento. E que a esposa do motorista teria dito que, logo após o acidente, por volta de 21h30, próximo ao Posto Bufon (antigo Posto Kuno), que seu marido teria ido em direção ao barranco do rio Caí, que fica distante cerca de cem metros do local da colisão. Os bombeiros utilizaram um barco nas buscas. Familiares também teriam feito buscas nas redondezas, junto ao rio, suspeitando que ele tivesse entrado na água.

O motorista do Gol, de 27 anos, natural de São Sebastião do Caí e morador de Nova Petrópolis, se envolveu em acidente fatal na noite do feriado da última segunda-feira, na RS 452. No acidente morreu o motociclista Marino Ferreira da Silva, de 46 anos, morador de Barão e que foi sepultado hoje pela manhã em Carlos Barbosa. Marino voltava de Nova Petrópolis, onde trabalhava como garçom, quando sua moto Yamaha Fazer foi atingida pelo automóvel Gol, com placas de Passo Fundo. Desde então o motorista do Gol estava desaparecido. A esposa do motorista foi socorrida e encaminhada ao hospital Schlatter com ferimentos leves. E ele não foi localizado no local. A Polícia Civil investiga o caso.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here