Comerciante mostrou fotos da carne vendida no estabelecimento Reprodução/FN

O comerciante Jonas Daniel Jaques, da Casa de Carnes Costelão, em São Sebastião do Caí, falou com a reportagem do Fato Novo na noite desta terça-feira, dia 11. Ele informou que a esposa, Michele Athaydes, que é proprietária do estabelecimento, prestou depoimento na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) do Vale do Caí, em Montenegro, sendo depois liberada. E conta que apresentou documentos de inspeção, comprovando a procedência da carne que acabou sendo apreendida pela fiscalização da Força-Tarefa do Programa Segurança Alimentar. A ação foi realizada pelo Ministério Público, Polícia Civil e Vigilâncias Sanitárias Municipal e Estadual.

Comerciante garante que carnes vendidas têm procedência e inspeção
Reprodução/FN

Jonas conta que abriu a casa de carnes faz cerca de quatro meses, tendo uma boa clientela devido a qualidade dos produtos. “Não temos problema de higiene, limpeza e refrigeração. Também não vendemos produtos vencidos”, garante, sobre acusações feitas pela fiscalização. De acordo com Jonas, a carne não estava imprópria para o consumo. O que foi apontado, segundo ele, é que o frigorífico de Portão, que forneceu a carne, não teria autorização para comercializar para outros municípios, já que teria apenas certificado de inspeção municipal. E que foi recolhido álcool de venda proibida. Sobre a ausência do alvará sanitário, o comerciante garante que foram feitas todas as vistorias e protocolos, faltando só a emissão do documento. Michele acabou sendo autuada por ser a responsável legal pela casa de carnes.

Mostrando fotos das carnes, Jonas garante que os clientes compram produtos de qualidade em seu estabelecimento, obedecendo todas as normas exigidas. E que nesta quarta-feira a Casa de Carnes Costelão estará novamente aberta normalmente.

Proprietários garantiram a higiene e limpeza do estabelecimento
Reprodução/FN

 

Deixe seu comentário