Vídeos mostram juiz partindo para cima do jogador com um bastão e depois foi espancado - Reprodução/FN

 

Na noite do feriado de ontem, sexta-feira, 12 de outubro, iniciou a Série Ouro do Campeonato Municipal Sicredi de fusal de Tupandi, com jogos no Ginásio Poliesportivo.

A primeira rodada estava transcorrendo de maneira tranquila, com um bom público presente. Primeiro aconteceram dois jogos pelo feminino, depois um pela Série Prata onde o Islanders derrotou o Nacional por 5 a 3. Já na primeira partida pela Série Ouro o Manchester goleou o Vencedor por 5 a 0. E no último jogo da noite, também pela Série Ouro, o Parma vencia o Julinho por 2 a 1. Faltavam cerca de 5 minutos para terminar o confronto entre as duas equipes de Júlio de Castilhos quando ocorreu uma confusão envolvendo arbitragem e jogadores.
Confusão iniciou logo após marcação de pênalti para o Julinho contra o Parma
– Reprodução/FN
O desentendimento teria iniciado quando o juiz, conhecido como Caco, que é de São Sebastião do Caí, marcou um pênalti para o Julinho. Na sequência dois jogadores do Parma foram expulsos. Um dos expulsos teria então empurrado o árbitro em meio as reclamações. O juiz foi então até a sua bolsa, pegou um bastão retrátil e investiu contra um jogador do Parma. Isso deixou os demais atletas da equipe revoltados e o árbitro acabou sendo espancado com chutes e socos. Em função da falta de segurança, o jogo não teve mais prosseguimento.
Vídeos da confusão estão sendo divulgados nas redes sociais, o que tem gerado grande repercussão. A reportagem buscou contato com o Conselho Municipal de Desportos/CMD de Tupandi, que é o organizador da competição, além de com representantes do Parma e da arbitragem, que fizeram suas manifestações.
A próxima rodada do certame está marcada para terça-feira, dia 16, a partir das 19h30, também no Ginásio Poliesportivo.
Posição do CMD
Organizador do campeonato, o Conselho Municipal de Desportos se manifestará somente na segunda-feira, após analisar a situação.
No início da semana será realizada uma reunião com a comissão julgadora da competição, a qual é formada pelos dirigentes dos clubes envolvidos no campeonato.
Além disso, serão tomadas providências em relação a arbitragem – uma das partes envolvidas no episódio ocorrido na noite de ontem.
Manifestação do Parma
Presidente do Parma, Ademir lamentou o ocorrido, lembrando que em 13 anos o clube nunca tinha se envolvido numa confusão. Ele cita que o juiz agrediu um dos jogadores com um bastão retrátil, além de ameaçar os demais. Foi quando os demais atletas partiram na defesa do colega e ocorreram agressões. Cita que foi registrado um boletim de ocorrência – BO. Cita, ainda, que mesmo após o jogo, o juiz continuou ameaçando os atletas pelo facebook.
Manifestação do árbitro
Na tarde de hoje, durante o intervalo de um jogo em que estava apitando, o árbitro Alexandre, mais conhecido como Caco, conversou com a reportagem. Diz que quando o jogo estava 2 a 1 e marcou um pênalti para o Julinho, um atleta do Parma partiu para cima do outro árbitro. Conta que o outro árbitro expulsou o jogador. Foi quando iniciou a confusão. “Outro jogador me empurrou e o expulsei. Aí todo o time foi para cima de mim. Um deles bateu com o cotovelo na minha nuca”, declara. Nos vídeos não aparece o que ocorreu antes”, afirma, sobre agressões e ofensas.
Árbitro sofreu lesões em várias partes do corpo
– Reprodução/FN
Caco admite que perdeu a cabeça ao pegar o bastão retrátil. “Tentei me defender. Não é a primeira vez que isso ocorre. No ano passado já tinha tido confusão, também com agressões ao árbitro. Ao contrário de outros campeonatos, ali não tem segurança”, reclamou. O juiz alegou que levava o bastão para a sua defesa. Diz que trabalha na arbitragem, pela região, faz mais de  anos e negou ter feito ameaças após a partida. “Estou todo machucado, nas costas, cabeça, braços e outras partes do corpo”, afirma, mostrando fotos. “Na segunda-feira vou registrar boletim de ocorrência”, completou.

Deixe seu comentário